A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

14/11/2008 09:58

Radares fixos já multaram 23 motoristas na Capital

Redação

Em uma semana de multas para valer nas ruas de Campo Grande, os radares recém instalados em 8 pontos da cidade já flagraram 23 motoristas acima da velocidade permitida. Já o equipamento móvel, que vai fiscalizar 52 vias alternadamente, flagrou em 4 dias 4.325 mil infrações, porém, em fase de testes. Anteriormente o diretor da Agetran havia dito que eram 450, mas o número foi corrigidopela prefeitura.

Nesta semana o radar móvel mostrou absurdos, mas já conhecidos causadores de mortes no trânsito da Capital. Na quarta-feira, o equipamento registrou um Pálio a 123 Km/h na Avenida Norte/Sul, próximo ao ginásio Guanandizão, onde a velocidade permitida é 60Km/h. Quinta-feira, um motociclista foi flagrado a 110 Km/h na Afonso Pena, no viaduto da Rua Ceará.

Sobre os pontos fixos, ao contrário do que a própria Agetran (Agência Municipal de Trânsito) havia informado, os flagrantes começaram antes do dia 10 de novembro. Deste o dia 5 os registros são feitos e no máximo, até 5 de dezembro os motoristas infratores devem receber as notificações em casa.

O número é considerado pequeno pelo diretor da Agetran, Carlos Lanteri, diante da enxurrada de flagrantes durante os 30 dias em que os equipamentos funcionaram apenas em testes.

Do dia 4 de outubro, a 4 de novembro, 620 fotos foram registradas pelos radares fixos, mas sem validade para multas. Segundo a Agetran, a maior proporção foi nos primeiros dias de funcionamento.

Em um cálculo rápido, levando em consideração os flagrantes feitos pelos 9 radares fixos e pelo aparelho itinerante, apenas no período de testes, se fossem para valer, as multas já teriam rendido quase R$ 435 mil à prefeitura, levando em consideração apenas o valor mais baixo da multa, quando o excesso não supera 20% do máximo permitido. Isso representaria mais de R$ 5,2 milhões ao ano.

Pela lei, em vias de velocidade permitida de 60km/h, o motorista que ultrapassar em até 20%, ou seja, atingir 72km/h, a multa é de R$ 85,13. Já para quem for flagrado em entre 72 e 90km/h, o valor sobe para R$ 127,69. No caso de velocidade superior a 50% do permitido, acima dos 90km/h, o prejuízo é de R$ 574,59.

Na avaliação de Lanteri, o cálculo da arrecadação não pode ser feito dessa forma, porque a medida em que os motoristas tomarem consciência da presença dos equipamentos, a velocidade também diminuirá, e conseqüentemente haverá redução de multas.

Sobre a falta de faixas educativas, como na avenida Três Barras, e o fato da Agetran não ter cumprido a fase de notificações apenas de alerta aos infratores, antes de multar, Lanteri contesta.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions