A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

13/03/2013 14:37

Rede Cegonha investirá R$ 7,4 mi em centros de parto e casas de apoio

Aline dos Santos
HU será um dos hospitais contemplados com recursos na CapitalHU será um dos hospitais contemplados com recursos na Capital

A Rede Cegonha vai investir R$ 7,4 milhões em Mato Grosso do Sul para criação de centro de parto normal, casas de apoio à gestante e adequação de ambiente no centro obstétrico e alojamento. O progrma vai atender 38,3 mil gestantes de risco habitual e alto risco. As previsões de recursos estão na resolução, publicada hoje no Diário Oficial do com o plano estadual de ação do programa.

Criada pelo governo federal, a rede implanta um novo modelo de atenção à saúde da mulher e da criança, com foco na atenção ao parto, ao nascimento, ao crescimento e ao desenvolvimento da criança de zero aos vinte e quatro meses. O objetivo é reduzir as mortes de mães e bebês.

O programa é dividido em quatro áreas: pré-natal, parto e nascimento, puerpério e atenção integral à saúde da criança, e sistema logístico de transporte. Todas as gestantes deverão ter acesso à pré-natal, com exames, por exemplo, de sífilis e HIV.

Conforme a resolução, 14 maternidade receberão recursos para reforma, ampliação e equipamentos, num total de R$ 4,2 milhões. Sendo cinco em Campo Grande: Santa Casa, HU (Hospital Universitário), HR (Hospital Regional) Rosa Pedrossian, AAMI (Maternidade Cândido Mariano) e Hospital da Mulher Vó Honória. As demais instituições estão localizadas em Aquidauana, Coxim, Corumbá, Dourados, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba, Ponta Porã e Três Lagoas.

Já os centros para parto normal são no HU de Dourados, Santa Casa de Corumbá e HU de Campo Grande. A previsão é investimento de R$ 1,3 milhão. Nos mesmos municípios, serão construídas casas de apoio, com repasse de R$ 1,8 milhão em recursos. Os bebês terão acesso a consultas e exames.

No quesito transporte, terá o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) Cegonha. A ambulâncias devem estar equipadas com incubadoras e ventiladores neonatais.

Pré-natal masculino – O programa do Ministério da Saúde prevê a realização de exames de Aids, sífilis e hepatite no pai da criança. Durante a gravidez, a sífilis não causa sintomas, mas pode acarretar sérios problemas ao bebê, como a microcefalia. No caso do HIV, o diagnóstico precoce evita a transmissão vertical, quando o vírus passa da mãe para o filho.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions