ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  04    CAMPO GRANDE 27º

Cidades

Representantes de países discutem implantação da Rota Bioceânica

Encontro acontece na cidade argentina de Salta com autoridades dos quatro países envolvidos no projeto

Por Gabriel Neris | 05/06/2018 14:46
Representantes de Brasil, Paraguai, Argentina e Chile estão reunidos em Salta (Foto: Divulgação)
Representantes de Brasil, Paraguai, Argentina e Chile estão reunidos em Salta (Foto: Divulgação)

Os representantes de Brasil, Argentina, Paraguai e Chile estão reunidos para debater a implantação da Rota Bioceânica, que deve encurtar em mais de 60% a distância marítima para os produtos que partem de Mato Grosso do Sul chegaram até à Ásia. A sexta reunião do Grupo de Trabalho acontece na cidade argentina de Salta.

O Estado é representado pelo secretário de Infraestrutura, Helianey Paulo Silva. “O primeiro dia do encontro foi bastante produtivo e mostrou que a viabilidade dessa rota rodoviária aos portos do Chile é uma questão de ajustes, pois as decisões estão tomadas pelos governos de cada país”, destacou.

O evento é uma sequência de reuniões realizadas em cada país para tomada de decisões, onde são alinhados compromissos relativos à legislação aduaneira, no qual se pretende unificar para simplificar os procedimentos de alfândega, sanitária e migratória. Segundo o secretário estadual, a regulação alfandegária será o maior desafio.

“Temos fatores importantes na parte de aduana para definir, buscando não apenas a unificação dos procedimentos, mas garantindo segurança aos usuários e fluidez no transporte”, diz Helianey.

Nesta terça-feira serão discutidas as questões operacionais de cargas e pessoas nos 2.396 km de rota. Um dos obstáculos para transpor o caminho dos produtos do Estado aos portes de Antofagasta e Iquiquí, ambos no Chile, é a rodovia que corta o chaco paraguaio, entre as fronteiras com o Brasil e Argentina. São 632 km de terra, trecho considerado intransitável principalmente por ser um terreno alagável. O Paraguai aponta que pavimentará a rodovia em 40 meses.

“O Paraguai apresentou o projeto de pavimentação da rodovia e criou expectativa muito boa em Salta. O projeto já foi facilitado e a obra do primeiro trecho, de 300 km, começa no segundo semestre ao custo de US$ 430 milhões. A garantia do Paraguai nos deixa muito felizes e confiantes na concretização dessa rota de transportes”, afirma o secretário.