A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 25 de Abril de 2018

09/03/2018 13:56

Paraguai autoriza pavimentação de trecho essencial para a rota bioceânica

Trecho ligará Mato Grosso do Sul aos portos da região norte do Chile. Serão 227 km de rodovia asfaltados

Gabriel Neris
Horacio Cartes e o ministro Ramón Jiménez durante evento nesta sexta-feira (Foto: Carlos Almirón/ABC Color)Horacio Cartes e o ministro Ramón Jiménez durante evento nesta sexta-feira (Foto: Carlos Almirón/ABC Color)

O presidente paraguaio Horacio Cartes assinou nesta sexta-feira (9) o contrato que autoriza o asfaltamento do trecho que liga Carmelo Peralta a Loma Plata, no Departamento de Boquerón. O trecho faz parte da rota bioceânica, que ligará Mato Grosso do Sul aos portos no norte do Chile.

De acordo com o ABC Color, este será o primeiro trecho asfaltado no Alto Paraguai. Serão 227 quilômetros, que ligarão Carmelo Peralta a Loma Plata. O consórcio Queiroz Galvão será o responsável pela construção do projeto, que terá custo total de US$ 443 milhões.

A cerimônia também contou com o ministro de Obras Públicas do Paraguai, Ramón Jiménez Gaona.

Na quinta-feira, a Câmara dos Deputados aprovou o acordo entre Brasi e Paraguai para a construção da ponte que ligará Porto Murtinho e Carmelo Peralta, sobre o Rio Paraguai.

O Projeto de Decreto Legislativo 709/17 foi votado em regime de urgência a pedido da deputada Tereza Cristina (DEM) e a expectativa é de que a construção da ponte favoreça a integração do Brasil com o oceano Pacífico.

O governo do Estado estima que o valor da construção da ponte chegue aos R$ 240 milhões, valor que será dividido pelos governos brasileiro e paraguaio. Após a aprovação na Câmara, o próximo passo será o processo licitatório. “Este é o grande projeto de Mato Grosso do Sul, essa rota [bioceânica] vai colorar o Estado em outro patamar”, disse o titular da Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura), Marcelo Miglioli.

Estes 227 quilômetros de rodovia cortarão a chamada região do Chaco, o pantanal paraguaio, e fazem parte da primeira etapa da obra. Além desse, há o segundo trecho da Transchaco, de Marechal Estigarribia (também no departamento de Boquerón) a Pozo Hondo (no mesmo departamento e na fronteira com a Argentina).

Com a construção da rodovia pelo Chaco paraguaio, com previsão de conclusão em 40 meses depois de iniciados os trabalhos, será efetivada a ligação ao porto chileno de Antofagasta. A produção brasileira e demais países também poderá ser exportada a partir dos portos do Chile de Mejillones, Tocopilla e Iquique.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions