A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

26/09/2013 16:43

Sem dados de infestação, prefeitura antecipa combate à dengue

Zana Zaidan
Plano de combate a doença foi apresentado nesta quinta-feira na Capital (Foto: Marcos Ermínio)Plano de combate a doença foi apresentado nesta quinta-feira na Capital (Foto: Marcos Ermínio)

A prefeitura de Campo Grande apresentou, na tarde de hoje (26), o Plano Municipal de Combate à Dengue para 2013/2014. Sem números do quadro atual de infestação nos bairros, número de casos notificados e óbitos constatados pela doença, a administração da Capital antecipou o combate a dengue para evitar nova epidemia.

Também foram contratados mais agentes e caminhões borrifadores. Os bairros contemplados com mutirão de limpeza foram ampliados. Até as redes sociais, como o Facebook e Twitter, vão contribuir no combate à dengue, segundo o município.

“Quando assumimos a administração, em janeiro, não tínhamos condições de agir preventivamente, como acontecerá agora”, comentou o secretário municipal de Saúde, Ivandro Fonseca, sobre o planejamento estratégico da equipe técnica da prefeitura.

As ações começaram em junho, segundo Ivandro, e agentes comunitários de saúde já visitavam as casas, mas serão intensificadas a partir de agora.

Mais agentes de saúde – O quadro de agentes de saúde foi reforçado em 300 funcionários e, agora, totaliza 1.547 pessoas. Além de fiscalizar caixas d´água descobertas, recipientes com água parada, mato alto, lixo acumulado e orientaçõa à população quanto ao combate à dengue, 420 agentes comunitários participam do mutirão de limpeza das ruas.

Caminhões borrifadores – 17 caminhões vão circular pelos bairros da Capital borrifando inseticida para matar o mosquito da dengue. O horário também foi ampliado – antes, os caminhões passavam no final tarde, e vão passar a atuar em período integral, manhã, tarde e noite, conforme o Plano.

Áreas descobertas – 68 áreas da Capital que estavam sem cobertura do combate à dengue serão contempladas, nas regiões Norte, Sul e Oeste, segundo o município.

Forças Armadas – O plano inclui parceria com 300 entidades, entre associações de bairros, clubes e igrejas. As Forças Armadas vão disponibilizar homens para reforçar o mutirão de limpeza das ruas.

Terrenos e propriedades particulares – Vilões nos verões anteriores, terrenos baldios e propriedades particulares poderão ser vistoriados por meio de parceria com o Tribunal de Justiça, que vai autorizar de forma menos burocrática a intervenção de agentes de saúde.

Boletins, Facebook e Twitter – Boletins epidemiológicos serão mais precisos para identificar as áreas de risco. Isso será possível por meio de um cartão de acompanhamento, que vai garantir que o paciente não só entre na lista de infectados, mas que também tenha seu nome retirado depois de curado.

As redes sociais também serão monitoradas porque, segundo a Secretaria de Saúde, o número de postagens e menções à dengue permite saber quem apresenta sintomas. “Alguém comenta que está com dores no corpo e manchas, em seguida vem os comentários e isso indica um possível risco de dengue”, comenta a diretora de Vigilância em Saúde, Márcia Dalfarro.

“É um plano inédito em Campo Grande, e que também não existe em nenhum outro lugar do país. Colocamos todas as ações em prática de forma antecipada, para evitar que a população enfrente outra epidemia de dengue como nos anos anteriores”, conclui o secretário Ivandro Fonseca.

Até 21 de setembro deste ano, Campo Grande acumula 45.766 casos de dengue notificados e 12 óbitos causados pela doença, de acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde. Apesar da redução nos casos notificados em relação aos anos anteriores, a incidência de dengue continua alta, e ultrapassa 5 mil casos por 100 mil habitantes.

Brasil começa a testar em outubro a 1ª vacina contra quatro vírus da dengue
Após causar mais uma epidemia em Mato Grosso do Sul, com 100,2 mil casos e 31 mortes neste ano, a luta contra a dengue ganha uma esperança neste ano....
Prefeitura lança hoje plano de prevenção contra dengue em Campo Grande
A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) apresenta, nesta quinta-feira (26), um plano de contingência contra dengue para o biênio 2013-2014. O evento ...
Prefeitura lança mutirão contra a dengue e projeto Recape em Ação
Ainda em comemoração ao aniversário de Campo Grande, a prefeitura promove a partir das 9h o seminário de formação e sensibilização de atendimento aos...


é incrivel, como ainda existam pessoas que apenas se opõe, sem saber o que, a que ou a quem, né Evangelista???? o combate a Dengue, deve ser feito sempre, e respondendo a sua pergunta, retirando recipientes que acumulem água , como copos descartaveis, plásticos,etc das ruas , dos terrenos baldios, vistoriano piscinas abandonadas, caixas dagua sem a devida proteção e cuidados, enfim, uma série de fatores, que ao invés de criticas, deveriam ser feitos ações , para educar a população, e não como em governos anterirores que somente visavam lucrar com verbas emergênciais depois que ocorria uma Epidemia. A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença e isso tem que ocorrer o ano todo.
 
nilson.soares em 27/09/2013 10:09:04
MELHOR PREVENIR DO QUE REMEDIAR! SEMPRE E SEMPRE, se todos tivessem a consciência de prevenção aos riscos, com toda a certeza muitos casos de doenças estariam por extinção... apoio a iniciativa antecipada, e mais deveria haver um trabalho anual sem interrupção de conscientização da população para que cuidem de suas casa e terrenos. Educação conscientizada leva ao progresso.
 
Nakal Laurenço em 27/09/2013 09:28:49
Parabéns a toda equipe por esta atitude, não podemos perder mais pessoas para um simples mosquitinho, mais uma vez parabéns prefeito.
 
Geferson cabral em 26/09/2013 22:48:48
Uai onde estão os críticos do prefeito? Quando ele apresenta um plano como este nos deveríamos parabenizar sua administração. O problema amigo prefeito é que você coloca as pessoas em primeiro lugar só que tem pessoas que deveria estar em ultimo.
 
Ito Malta em 26/09/2013 20:50:14
não concordo com essa atitude,pois serão gastos desnecessários irão combater o que?onde?acredito que primeiro temos que saber a necessidade,onde e como para se ter um foco melhor.Será um desperdício de dinheiro,pessoal e material isso mostra a total desorgazinação,sem conhecimento,sem base.Tenho certeza que não queremos uma nova
epidemia mas daí sair por aí sem saber onde atuar e como atuar desperdiçando material,pessoal e dinheiro nosso fica dificil. Precisamos de mais qualidade em ações e atitudes para que todos nós vejamos os resultados e não fazer só barulho.
 
EVANGELISTA LAURINDO FERREIRA em 26/09/2013 20:13:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions