ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  06    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Sindicato aceita proposta do Governo mas mantém greve dos administrativos

Os administrativos também aceitaram a incorporação aos salários do abono de R$ 200,00, a partir de março do próximo ano e o auxílio alimentação de R$ 100,00 válido a partir deste mês.

Por Adriano Fernandes | 09/04/2018 20:19
Reunião entre o secretário Edir Viegas e os representantes do sindicato. (Foto: Divulgação)
Reunião entre o secretário Edir Viegas e os representantes do sindicato. (Foto: Divulgação)

O Sinfae (Sindicato dos Funcionários Administrativos da Educação em Mato Grosso do Sul) aceitou a proposta salarial de 3,4% do Governo do Estado, mas ainda manteve a greve, prevista para iniciar nesta terça-feira, 10, nas escolas da rede estadual de ensino.

O acordo foi feito, ainda nesta segunda-feira (09) em reunião entre os representantes do sindicato com o secretário-ajunto de Administração e Desburocratização, Édir Viegas. Além do reajuste percentual (3,4%), os administrativos também aceitaram a incorporação aos salários do abono de R$ 200,00, a partir de março do próximo ano, a todos os servidores e o auxílio alimentação de R$ 100,00, válido a partir deste mês.

O reajuste representa ganho de aproximadamente 10%. "Estamos atendendo todas as reivindicações possíveis da categoria, uma vez que a incorporação ainda este ano não é permitida por lei. Sempre estivemos abertos ao diálogo”, observou o secretário Édio Viégas.

O secretário ainda garantiu que o Governo do Estado deve realizar concurso público para professores e administrativos, que inclusive já foi autorizado pelo governador Reinaldo Azambuja. Apesar do consenso no reajuste, o sindicato informou que não conseguiu movimentar todo o seu efetivo pelo Estado, então há indicativo de greve, pelo menos durante esta terça-feira (09) 

O reajuste – A proposta salarial foi apresentada pela SAD à Fetems e ao Sindicato dos Funcionários Administrativos da Educação em Mato Grosso do Sul (Sinfae-MS), antes dos servidores administrativos da educação decidirem pela paralisação, nesta segunda-feira (09).

Matéria alterada às 21h31 para correção de informações**