A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Agosto de 2018

11/08/2010 06:43

Suspenso, médico suspeito de morte em lipo está atuando

Redação

O CRM/MS (Conselho Regional de Medicina) publicou hoje a interdição cautelar do médico Alexsandro de Souza por procedimentos danosos a pacientes derivados de cirurgias plásticas.

A decisão foi tomada em maio, mas o médico mesmo ciente do impedimento de exercer a medicina, continuou a trabalhar em hospitais do interior. Ele é acusado de ser o responsável pela morte da paciente Cristiane Medina Dantas, de 24 anos, ocorrida após lipoaspiração em junho de 2008, em Fátima do Sul.

De acordo com o advogado do conselho, André Borges, a interdição cautelar de um médico não é publicada para conhecimento público, contudo, o CRM recebeu documento que comprova que o médico continuava trabalhando em Novo Horizonte do Sul. "Como a situação era muito grave. Esse edital é para informar toda a população", salienta.

A publicação também traz um alerta para a classe médica, "que fica proibida de garantir o exercício da medicina ao médico". Conforme Borges, os médicos que permitiram que Alexsandro continuasse a trabalhar vão responder à sindicância.

Com a interdição, o profissional fica impedido de exercer a medicina até a conclusão dos processos éticos ou até outra deliberação do conselho.

O médico também responde ao processo criminal pela morte da paciente. Cristiane foi submetida à cirurgia na clínica montada pelo médico em Fátima do Sul, e morreu seis dias depois.

A clínica não atendia às normas para funcionamento e o médico não é habilitado para a realização de cirurgias plásticas. A especialidade de Alexsandro de Souza é cirurgia geral.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions