A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Setembro de 2018

18/01/2017 18:31

Temer entendeu que precisa ajudar a proteger a fronteira, diz secretário

Informação é do secretário de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, José Carlos Barbosa, que participou de encontro do presidente com governadores

Luana Rodrigues
Agentes da Força Nacional estão em atuação nos presídios de Amazonas (Foto: Divulgação/Agência Brasil)Agentes da Força Nacional estão em atuação nos presídios de Amazonas (Foto: Divulgação/Agência Brasil)

O presidente Michel Temer (PMDB) autorizou o reforço da segurança nas regiões de fronteira de Mato Grosso do Sul. A informação é do secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, que participou de encontro do chefe da República junto de governadores da Região Norte e também do vizinho Mato Grosso, realizada na tarde desta quarta-feira (18), em Brasília (DF).

Conforme o secretário, na reunião o presidente garantiu que irá colaborar com o reforço da segurança nas fronteiras, seja por meio da Força Nacional ou Forças Armadas, principalmente neste momento em que o país vive uma crise no sistema carcerário. “Pelo que foi sinalizado, ele entendeu que a União precisa colaborar com o investimento de forças de segurança na fronteira, que chegou a hora do governo ajudar os estados garantirem a lei e a ordem”, explicou.

Segundo Barbosa, ainda não há data para que o reforço da segurança chegue ao Estado, já que as ações ainda devem ser programadas. “Haverá uma integração muito forte entre os estados e o governo federal, que devem conduzir as ações de maneira a buscar o fortalecimento da segurança no país”, diz.

Ainda conforme o secretário, também ficou previamente acordado com a União, a simplificação do processo de construção de presídios, através de projetos modulares e ações do governo federal. “O objetivo é quebrar barreiras e construir mais vagas, terminar aqueles presídios que estão em construção e resolver este problema. Na verdade foi uma oportunidade que os governadores tiveram de expor o que está acontecendo nos Estados, a carência de vagas e recursos para a segurança”, explicou.

Por ser área de fronteira e passagem de drogas e armas para o Sudeste, Mato Grosso do Sul é visto com prioridade pelo Ministério da Justiça e Cidadania, depois da explosão da guerra entre facções que culminou em rebeliões em presídios, com um total de mais de 130 mortos em cinco estados: Amazonas, Roraima, Paraná, Rio Grande do Norte e Minas Gerais, além de fugas e feridos. Mato Grosso do Sul tem quatro vítimas fatais em seus presídios até aqui no ano.

A governadora em exercício, Rose Modesto (PSDB), também participou da reunião e, além da apresentação de pontos a terem vigilância reforçada, tinha como objetivo captar a parte que falta da verba de R$ 54 milhões, prometida pelo ministro da Justiça Alexandre de Moraes ao Estado no fim do ano passado.

O Campo Grande News não conseguiu contato com a governadora em exercício para confirmar se ficou algo definido quanto a verbas na reunião.



" Segundo Barbosa, ainda não há data para que o reforço da segurança chegue ao Estado, já que as ações ainda devem ser programadas. "
É isso..entenderam? Ou seja, não vão fazer absolutamente nada!
Logo,logo, essas rebeliões vão cair no esquecimento, os ânimos vão declinar porque os bandidos vão entender que todos perdem e a sociedade de bem,que trabalha e produz vai ficar órfão mais uma vez. Se depender de vontade política estamos ferrados!
 
Barbarossa em 19/01/2017 10:10:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions