A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

03/03/2009 16:10

Testemunha não reconhece suspeitos nem carro

Redação

Uma testemunha do assassinato de Cláudio Zeolla, 23 anos, ocorrido na manhã desta terça-feira, não reconheceu os suspeitos nem o carro onde eles estavam.

Sandra Rosa Vieira, 48 anos, disse à imprensa, que trabalha no restaurante em frente ao local do crime e que viu quando o autor dos disparos voltava para o veículo.

Segundo Sandra, as três pessoas que foram colocadas para ela reconhecer, não são quem ela viu. Ela disse que o autor do tiro que atingiu a cabeça de Cláudio tem uma deficiência em um dos braços e que viu quando ele guardou a arma na cintura.

Sobre o carro, ela não soube dizer a cor exata do que viu no local do crime, mas disse que não é o mesmo que foi mostrado a ela.

A declaração dela foi feita após ter saído da 1ª Delegacia de Polícia Civil, onde estão os suspeitos: o procurador de Justiça Carlos Alberto Zeolla, tio de Cláudio, o motorista dele, identificado como Etevaldo, e um sobrinho dele, de 17 anos. Ainda não há detalhes sobre a motivação do crime.

Cláudio foi morto quando seguia de bicicleta para a academia, na rua Bahia. Ele morreu na Santa Casa.

O MPE (Ministério Público Estadual) lamenta o ocorrido e diz que confia no trabalho da Polícia Civil. Um defensor público foi chamado para atuar na defesa de Etevaldo e do adolescente.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions