A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

19/06/2014 11:15

Trabalhador em motocicleta passa a ter direito a adicional de periculosidade

Kleber Clajus
Fabio Trad destaca que sanção valoriza trabalhador que utiliza moto para exercer sua profissão (Foto: Divulgação)Fabio Trad destaca que sanção valoriza trabalhador que utiliza moto para exercer sua profissão (Foto: Divulgação)

Sancionada pela presidente Dilma Rousseff (PT), na quarta-feira (18), lei passou a obrigar o pagamento de adicional de periculosidade ao salário de motoboys, mototaxistas e de serviço comunitário de rua. A nova regulamentação contou, durante sua tramitação, com emenda do deputado federal Fábio Trad (PMDB) para tornar o texto mais claro ao estender a medida para “trabalhadores em motocicleta” devido as várias nomenclaturas que a profissão recebe.

Pelo benefício, conforme a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), a categoria terá adicional de 30% incorporado ao salário, descontados acréscimos referentes a gratificação, prêmios ou participação nos lucros da empresa. Antes da medida, somente trabalhos com risco acentuado e contato permanente com inflamáveis, explosivos e energia elétrica tinham essa classificação prevista em legislação, além de seguranças pessoais e patrimoniais.

“Cremos que a conquista desse adicional, antiga reivindicação das categorias beneficiadas, representa um importante avanço na valorização de milhares de profissionais que hoje estão à serviço da população, em todo o País”, pontuou Fábio Trad, via assessoria de imprensa.

O adicional também faz referência ao número de mortes envolvendo motociclistas que teve elevação de 263,5%, de 2001 a 2011, conforme dados do Ministério da Saúde. Em 2011, foram registrados no SIM (Sistema de Informações de Mortalidade) 11.268 mortes, ante 3.100 em 2001.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions