A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

11/04/2012 07:57

UFMS não vai cancelar questões de concurso que foram copiadas

Viviane Oliveira

Para a instituição não houve qualquer tipo de favorecimento a candidatos em razão da coincidência das questões

A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) não vai cancelar as questões do concurso para técnicos administrativos que, de acordo com denúncias feitas por candidatos ao MPF (Ministério Público Federal), foram copiadas de outro processo seletivo aplicado em um concurso público.

De acordo com a nota enviada pela UFMS as provas aplicadas no dia 18 de março, foram feitas com transparência não havendo registro de fraude ou vazamento das questões. Conforme a universidade as questões coincidentes são de domínio público, não sido informado o registro de direitos autorais, não configurando, portanto, violação da propriedade intelectual ou plágio.

Os contratados para elaborar as provas assinam um termo de compromisso com a Comissão Permanente de Vestibular da UFMS, informando que as questões não serão copiadas. Porém no edital do concurso, publicado no dia 28 de dezembro de 2011, não especifica será inédita.

A universidade afirma que no caso dessas provas houve quebra de compromisso entre o contratado e a universidade e não entre a instituição e os concursandos. Para a instituição não houve qualquer tipo de favorecimento a candidatos em razão da coincidência das questões.

Denúncia - Candidatos que realizaram no último dia 18 o concurso público da UFMS denunciaram no MPF irregularidades na prova. Conforme a denúncia, sete questões que caíram em uma das provas já haviam sido utilizadas em um concurso na UFPA (Universidade Federal do Pará).

Veja na íntegra a nota enviada pela UFMS

Com relação ao Concurso Público para ingresso na carreira Técnico-Administrativa, a Comissão da Copeve esclarece:

1. Primeiramente, ressaltamos que o Concurso Público para ingresso na Carreira Técnico-Administrativa da UFMS, cujas provas foram aplicadas no dia 18 de março de 2012, foi realizado dentro do previsto, com total lisura e transparência, não havendo registro de fraude ou vazamento de questões de provas, prezando-se sempre pelo cumprimento rigoso do Edital RTR nº 006/2011, de 28 de dezembro de 2011;

2. Com relação às questões em que houve denúncia de plágio observamos que os textos em questão são de domínio público, uma vez que as questões foram publicadas, não tendo sido informado o registro de direitos autorais e nem estes reclamados, não se configurando, portanto, violação da propriedade intelectual ou prática de crime de plágio;

3. O Edital RTR nº 006/2011, de 28 de dezembro de 2011, não prevê e nem informa a obrigatoriedade de que as questões das provas do Concurso sejam inéditas, não tendo os candidatos qualquer direito em exigir tal característica, já que não faz parte da norma regente do certame, que é lei entre as partes, sendo que a Copeve apenas solicita do contratado para elaborar as provas a assinatura de termo de compromisso e responsabilidade, declarando que as questões formuladas serão INÉDITAS, que não serão cópias de outras provas e nem de exercícios propostos ou exercícios resolvidos de livros ou de apostilas, mas não há no termo previsão de não aceitação ou anulação das mesmas, sendo que a quebra do compromisso pelo contratado se deu com a Copeve, sem ferir normas editalícias do referido Edital, já estando a UFMS tomando as providências administrativas com relação ao contrato, uma vez que há aparente descumprimento do mesmo por parte do contratado, o que se resolverá internamente, bem como sobre a suposta ocorrência de plágio, que será investigada através do procedimento próprio e, se existente, a UFMS encaminhará ao Ministério Público Federal o resultado para a tomada das providências pertinentes;

4. Constatou-se, também, através de análise prévia pela COPEVE, que não houve qualquer tipo de favorecimento a candidatos em razão da coincidência das questões, o que foi confirmado pelo fato de que nenhum dos candidatos obteve 100% de acerto nas questões das provas de maneira geral e nem das questões invectivadas;

5. Não tendo havido favorecimento, nenhum prejuízo existiu a qualquer candidato. Depois da análise de todos os recursos e ouvidas as partes, a Comissão do Concurso Público decidiu pelo não cancelamento das questões, mantendo-se incólume o certame.

Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...
ANS regulamenta novas regras de compartilhamento para planos de saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou duas resoluções normativas na tentativa de dar mais segurança e estabilidade ao mercado de pla...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...


E qdo vamos saber se o pessoal que passaram no concurso , vai serem chamados.
 
SONIA IBARRA em 02/05/2012 11:33:37
Não existiu beneficiado. Se estudar provas de concursos anteriores é uma forma de se preparar, as provas estão disponiveis para todos.
 
Minelvino Rocha Pacheco em 13/04/2012 03:20:55
Acho que algumas pessoas deveriam estudar mais e não ficar tentando ganhar vantagem... As questões realmente não devem ser canceladas....
 
jailson carvalho em 11/04/2012 12:18:27
Está certo em não cancela,não houve nem um tipo de favorecimento e fica a dica,estude outras provas de concursos pq se não tivé questões iguais sempre tem parecidas.........
 
rodrigo ancel rocha em 11/04/2012 11:19:26
A UFMS já perdeu credibilidade a muito tempo em seus concursos.
 
Ana Cristina Ferreira em 11/04/2012 09:39:10
isto é Brasil,pois se na faculdade alguém plagiar qualquer tipo d trabalho este pode ser casado mas um grande concurso como este de nome e esperado por muitos ter um final deste,é triste,pois perde-se a credibilidade.....só uma singela pergunta passa pela minha cabeça,se você fosse favorecido com questões de um grande concurso você assumiria que teve o beneficio?
 
marta lopes da silva em 11/04/2012 08:49:32
Não é a primeira vez que isso acontece. Não acho justo usarem questões já aplicadas em outras provas de concursos, no entanto são poucas as pessoas que se beneficiam com isso e as pessoas que elaboram essas provas precisam de mais atenção, pois alguém sempre vai descobrir. Mas é uma boa maneira de estudar.
 
Érica Bento Bernardes em 11/04/2012 03:21:06
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions