A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

30/04/2010 11:44

Usina do lixo e novo aterro estarão prontos em 1 ano

Redação

O prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), assinou nesta manhã a ordem de serviço para a construção de uma usina de triagem de lixo no novo aterro sanitário. A obra deve ficar pronta em um ano e vai custar cerca de R$ 2,8 milhões.

Com a medida, centenas de pessoas que moram hoje na favela Cidade de Deus, vão ganhar casas populares e poderão fazer parte de uma cooperativa. Todo o complexo do novo aterro sanitário substituirá o antigo lixão de Campo Grande.

O aterro antigo só será desativado quando a usina ficar pronta.

A medida integra a série de ações estabelecidas no TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), intermediado pelo Ministério Público Estadual e assinado pelo prefeito no dia 25 de fevereiro deste ano.

A usina de processamento de lixo contará com um incinerador de resíduos sólidos hospitalares.

Até dezembro de 2011, prazo final para as ações listadas, o lixão localizado no bairro Dom Antônio Barbosa será desativado, e toda a área será recuperada.

"Haverá reflorestamento de todo o cinturão verde", explicou o secretário Rodrigo Aquino (Governo).

Também haverá no local uma área para receber resíduos sólidos da construção civil, ou seja, entulho.

O novo aterro sanitário vai receber da usina de processamento de lixo todo o material não reciclável. Máquinas vão fazer o trabalho de compactação do lixo. A idéia é que o aterro tenha vida útil de 20 anos.

O prazo para a prefeitura concluir todo o processo de desativação do lixão e ativação do novo aterro sanitário é dezembro de 2011.

O prefeito Nelsinho Trad vai investir R$ 1,3 milhão na operacionalização da usina de processamento de lixo e do incinerador de resíduos sólidos hospitalares.

Já a parte social do projeto, com construção do aterro sanitário, desativação do lixão e recuperação da área, custará R$ 4 milhões.

A construção de 300 moradias para as famílias dos catadores de lixo custará R$ 4,8 milhões. Toda a obra está orçada em R$ 12,9 milhões.

Durante a solenidade desta manhã, o prefeito fez o assentamento simbólico do tijolo de uma das casas que estão sendo construídas.

"Damos hoje o início a um processo importante de organização ambientalmente correta, que vai trazer recursos para o município. Vamos explorar esse passivo com os créditos de carbono", detalhou o prefeito.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...
Inscrições para o Vestibular 2018 da UFMS seguem abertas
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions