A notícia da terra a um clique de você.
 
18/09/2018 07:31

Ciência: Leite integral reduz mortalidade

Mário Sérgio Lorenzetto
Ciência: Leite integral reduz mortalidade

Tomar três copos de leite ou de outros produtos lácteos está relacionado com menos problemas cardio-vasculares e uma menor mortalidade. O efeito parece ser melhor para aqueles que tomam o leite ou o iogurte sem retirar a gordura, o leite integral. Esta é a conclusão do estudo dos hábitos alimentares de mais de 100.000 pessoas de vinte e um países. Apesar desse resultado, alguns médicos consideram que não devemos deixar de seguir as recomendações de minimizar o consumo de derivados lácteos com toda sua gordura.
Desde há muito tempo, alguns médicos e nutricionistas apostam no consumo de leite e de seus derivados em suas versões semi ou completamente desnatado. Justificam com o argumento de que os produtos lácteos integrais são uma grande fonte de gorduras saturadas, elementos relacionados com o aumento de lipídios no sangue, como o colesterol. Esta elevação de taxas de colesterol aparecem conectadas com diversas enfermidades cardio-vasculares.
Agora, um dos maiores estudos realizados até esta data, vem a questionar essas recomendações que mostravam a conexão entre o leite integral e a má saúde do coração. Desde 2003, dezenas de cientistas vem realizando um estudo com populações urbanas e rurais - PURE, sua sigla em inglês - de vinte e um países dos cinco continentes. Aos mais de 136.000 pessoas que foram entrevistados para conhecer seus hábitos alimentares, continuaram seguindo-os por nove anos.

Ciência: Leite integral reduz mortalidade

Quem toma leite integral, têm menor taxa de mortalidade.

Os dados mostram que dos 136.000 acompanhados pela pesquisa, publicada na The Lancet, uma das mais importantes revistas científicas do mundo, comprovaram uma associação generalizada: quanto mais produtos lácteos consumidos, menor é a probabilidade de estar entre os falecidos ou de sofrer algum problema cardio-vascular grave. Assim, o grupo de consumo de leite elevado - mais de 3 copos por dia - mostra uma taxa de mortalidade de 3,4%, frente ao 5,6% daqueles que não consomem leite.
Talvez o mais chamativo do estudo é o papel protetor que parece ter o leite integral. Entre o grupo de pessoas que declararam tomar mais de dois copos diários de leite com toda sua gordura - 27.600 pessoas - a percentagem de falecimento era significativamente menor que entre aqueles que disseram tomar menos de meio copo de leite integral. O caso das doenças vasculares - 3,7% para os que tomam leite integral, sobre para 55 entre os que quase nada tomam.
Os autores do estudo contradizem aqueles que nos aconselham a não tomar leite integral, afirmando: " A ideia de não tomarmos leite integral está baseada nos supostos efeitos danosos de uma única categoria de macronutriente (os ácidos graxos saturados) sobre um único marcador de risco cardio-vascular (o colesterol LDL) , mas essa simplificação deixa fora muitos outros ingredientes do leite integral: aminoácidos, graxas saturadas de cadeia média, fosfolipídeos não saturados, graxas trans naturais, vitaminas K1 e K2 e, inclusive, probióticos. Portanto, a consideração do efeito bruto do leite integral sobre a saúde não deveria basear-se somente nos possíveis efeitos de um só marcador de risco.

Ciência: Leite integral reduz mortalidade

Mentiras da história que engolimos sem protestar:

Elvis era o rei, mas não criou o rock.

O que nos contaram? Em livros, palestras, artigos na imprensa e até em enciclopédias, é comum encontrarmos: "Elvis Presley inventou o rock and roll".
O que realmente aconteceu? Elvis era branco, bonito, patriota, pobre... ou seja, o sonho americano encarnado. Ele era o único que poderia convencer os pais dos jovens dos anos 50 a comprar "aquela música do diabo". Era uma marca branca de muitos negros. Não, o rock não foi criado por brancos. Pelo contrário, como quase todos os ritmos mais duráveis, foi criado por alguns negros como Joe Turner e seu "Shake", Lloyd Price e seu "Lawdy Miss Clawdy", Fat Domino e seu "The Fat Man" e Big Mama Thornton com "Hound Dog", que elvis viria a gravar. Anos mais tarde, chegariam Chuck Berry, Little Richards e... Elvis, é claro. O que Elvis não foi pouco. Levou o rock ao mundo.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.