A notícia da terra a um clique de você.
 
25/04/2017 10:27

Cinematográfico: 50 homens roubaram US$ 50 milhões

Mário Sérgio Lorenzetto
Cinematográfico: 50 homens roubaram US$ 50 milhões

Cidade de Leste, o principal centro de comércio no Paraguai, foi, por uma noite, uma zona de guerra. E não é uma metáfora. Um comando de 50 homens, armados com fuzis antiaéreos, dinamite, miras a laser e equipamentos de visão noturna, atacou, durante 3 horas, a sede da empresa Prosegur.

Mataram um refém, derrubaram o edifício e chegaram ao cofre que guardava os dólares. Em sua fuga detonaram 16 carros com explosivos controlados à distância, exclusivos para militares. Em meio ao caos, os alarmes e os disparos de armas pesadas, a policia não conseguiu encontrar as pistas. Fugiram em direção ao norte do Paraguai a bordo de cinco camionetes.

As autoridades paraguaias suspeitam de um bando brasileiro, responsável por um ataque semelhante em Pernambuco, em 21 de fevereiro passado. Naquela oportunidade, a vítima foi a empresa Brinks e o roubo foi de US$20 milhões.

A sede da Prosegur vinha sendo observada por ladrões há dois anos. Nessa época, encontraram um túnel que passava por baixo da empresa e conseguiram evitar o roubo. Dessa vez não conseguiram, os assaltantes ainda detonaram um caminhão na estrada, causando acidentes com motociclistas.

Cinematográfico: 50 homens roubaram US$ 50 milhões

O Palestra morre líder. O Palmeiras nasce campeão.

O governo brasileiro passou muito tempo enamorado pelos nazistas. Todavia, em 22 de março de 1941, próximo à costa do Egito, o navio brasileiro Taubaté foi atacado por aviões alemães. Morria o primeiro brasileiro em uma guerra que nós não havíamos entrado e outros 12 ficaram feridos. Outros ataques vieram com a declaração de guerra. Um enorme clamor popular se postou contrário a tudo que fosse alemão, japonês e italiano. O governo começou a pressionar as entidades para que fechassem ou mudassem de nome (um arranjo bem brasileiro).

Em Belo Horizonte, a Sociedade Esportiva Palestra Itália foi rebatizada como Cruzeiro Esporte Clube. Mas o movimento aumento e começou a pressionar as entidade ligadas de alguma forma a todos os demais países. Depois do Palestra de Minas Gerais, viria o alemão Sport Club Germânia que passou a se chamar Esporte Clube Pinheiros. O próximo foi o São Paulo Athletic Club, de origem britânica, se abrasileirou para Clube Atlético São Paulo.

Em Santos, o Hespanha Foot Ball Club mudou sua denominação para Jabaquara Atlético Clube. E, por último, foi a vez do homônimo paulista dos mineiros - a Sociedade Esportiva Palestra Itália . Primeiro tiraram o vermelho de seu distintivo, tornando-se alviverde, depois foi a vez de cortar a Itália, passando a ser Sociedade Esportiva Palestra de São Paulo. As mudanças não foram suficientes.

Para a população e autoridades "Palestra" seria um termo italiano - um clamoroso equívoco, uma vez que é uma palavra grega que significa "praça esportiva". Em uma reunião da diretoria palestrina, muitos nomes foram cogitados, dentre eles "América", "Brasil" e "Piratininga". Já era madrugada quando sacramentaram o nome Palmeiras. Manteriam o "P" de Palestra.

A primeira partida do clube com novo nome aconteceu em 20 de setembro de 1942, no estádio do Pacaembu, uma partida que definiria o campeão dos paulistas. O jogo foi contra o São Paulo. O Palmeira venceu por 3 a 1, conquistando o primeiro título com a nova identidade. Nas palavras de seu técnico, Armando Del Debbio: "O Palestra morre líder. O Palmeira nasce campeão". Como Corinthiano conto a história, mas torcerei contra o time de meus antepassados até o fim da vida. Afinal, não existe alegria maior que vencer o "Parmeras".

Cinematográfico: 50 homens roubaram US$ 50 milhões

Crise política no Paraguai afeta investimentos.

A fragilidade das democracias na América do Sul é determinante para o desenvolvimento. Emperra. A crise no Paraguai em torno da emenda constitucional que permite a reeleição está afetando o clima de negócios. As políticas econômicas são feitas pelo Executivo e o Congresso, mas os acontecimentos recentes mostram que eles não garantem nem mesmo que a estabilidade econômica será mantida.

A Federação da Produção, Indústria e Comércio (Feprinco) pediu, ao lado de outras entidades empresariais, que o governo do presidente Horacio Cartes abandone a campanha em prol da reeleição a fim de garantir a ordem. Um recente jantar entre Cartes e ministros estrangeiros que visitavam o país pensando em investimentos, foi cancelado.

Como também foram canceladas visitas de missões empresariais estrangeiras. A consultoria Eurasia acredita que o debate sobre a reeleição está gerando incerteza na disputa presidencial de 2018. Também lembra que 75% da população paraguaia se opõe à reeleição.

Líderes da oposição disseram que só se sentarão à mesa com Cartes se a votação da reeleição for anulada. No Paraguai, no entanto, a percepção é a de que o governo não recuará. Muitos falam em um "diálogo de surdos", no qual somente o presidente tem voz.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.