ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  26    CAMPO GRANDE 22º

Em Pauta

Conta de luz deve continuar subindo em 2022

Por Mário Sérgio Lorenzetto | 01/12/2021 06:30
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Chuvas antecipadas e temperaturas mais amenas afastam risco de apagão. Especialistas, todavia, indicam que a situação não é tranquila. E o mais importante: a conta de luz, que está altíssima, deve continuar subindo no próximo ano. Isso porque o período de chuvas entre 2020 e 2021 foi o pior no Brasil em 90 anos. A escassez de água fez com que os reservatórios de usinas hidrelétricas chegassem a níveis próximo ao colapso.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Os reservatórios estão em nível muito baixo.

A palavra "sorte" pode ser usada para descrever a situação. O alívio da crise de energia veio via fatores climáticos. Mas é muito importante que se diga que não existe tranquilidade. Estamos longe de chegarmos à normalidade operativa das usinas hidrelétricas. Mesmo com as chuvas reaparecendo, os reservatórios estão baixos. E não sabemos qual o total de chuvas que ocorrerá entre outubro e abril, temporada de chuvas constantes.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

O começo de 2022 será mais grave que o de 2021.

As previsões não são otimistas. Os especialistas afirmam que a quantidade de água nos reservatórios será pior no começo de 2022 do que foi nos primeiros meses de 2021. Ainda que admitam que é muito difícil fazer previsão climática em um país tropical, acreditam que só com chuvas inesperadas até o Ano Novo as nuvens plúmbeas da conta de luz começarão a dissipar.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

"21,04% deve ser o impacto tarifário médio em 2022".

Nada menos de 19% foi o aumento acumulado da conta de luz nos primeiros dez meses de 2021, segundo o IBGE. Por causa do cenário ainda longe da normalidade, a Aneel - Agência Nacional de Energia Elétrica - projeta que a conta de luz continuará subindo em 2022. É o que mostrou um documento interno da agência. A projeção é de : "21,04% de impacto tarifário médio em 2022".

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário