A notícia da terra a um clique de você.
 
19/10/2019 08:50

O maior e mais forte é sempre mais estúpido?

Mário Sérgio Lorenzetto
O maior e mais forte é sempre mais estúpido?

Quando Muhammad Ali foi mais uma vez reprovado no teste de inteligência do exército dos EUA, declarou: "Eu apenas disse que era o maior, nunca disse que era o mais esperto". Em nossas metáforas e contos de fadas, o tamanho e o poder são quase sempre contrabalançados pela falta de inteligência. A astúcia é o recurso do pequeno. Pensem em Davi derrotando Golias com uma funda. Joãozinho derrubou o pé-de-feijão. Raciocínio lento é a trágica fraqueza do gigante.

O maior e mais forte é sempre mais estúpido?

Os dinossauros e a correlação entre tamanho e astúcia.

A descoberta dos dinossauros, no século XIX, forneceu, pelo menos aparentemente, um exemplo por excelência da correlação entre tamanho e astúcia. Com seus cérebros do tamanho de ervilhas e corpos gigantes, os dinossauros tornaram-se um símbolo da estupidez pesada, e sua extinção parecia apenas confirmar não terem passado de um projeto fracassado. E nem lhes era concedido o privilégio usual de um gigante - a grande aptidão física. Eram considerados vagarosos e desajeitados. Todos os livros mais antigos que tratam dos dinossauros mostram esse fracasso de músculos e força bruta.

O maior e mais forte é sempre mais estúpido?

A febre humana do culto à boa forma física mudou o entendimento sobre os dinos.

Mas os dinossauros estão retornando à toda. Nesta era do "Eu estou bem, você está bem", o best seller norte americano que inaugurou a febre do culto à boa forma física, trouxe uma releitura dos dinos. Muitos paleontólogos querem agora vê-los como animais vigorosos, ativos e capazes. O brontossauro que nadava como pato no lago há alguns anos, encontra-se agora correndo em terra firme.

O maior e mais forte é sempre mais estúpido?

Eram os dinos animais de sangue quente?

Pares de machos de brontossauro passaram a aparecer nas ilustrações e filmes entrelaçando seus pescoços em um elaborado combate sexual pelo acesso às fêmeas - muito no estilo da luta de pescoços das girafas macho. As reconstruções de dinos passaram a indicar força comungada com agilidade. E começam a surgir paleontólogos que acreditam agora que os dinossauros eram animais de sangue quente, um gigantesco avanço evolutivo.

O maior e mais forte é sempre mais estúpido?

A extinção dos dinos foi obra da burrice?

O fato mais citado contra os dinossauros foi o de que sua burrice causou a extinção. Para a maior parte das pessoas, a extinção carrega muitas das conotações atribuídas ao sexo - algo vergonhoso. Mas tal como o sexo, a extinção é uma fatalidade da vida. É o destino último de todas as espécies, e não o apanágio de criaturas infelizes e mal projetadas. Não é um sinal de fracasso.

O maior e mais forte é sempre mais estúpido?

Viveram 100 milhões de anos.

O fato notável acerca dos dinos não é sua extinção, mas que tenham dominado o planeta durante tanto tempo. Os dinossauros mantiveram-se durante 100 milhões de anos, enquanto os mamíferos, durante todo esse tempo, viveram como pequenos animais quase escondidos nos interstícios da terra. E nós? Como Australopithecus só temos 5 milhões de anos. Como Homo sapiens, algo em torno de míseros 50.000 anos. Conhecem alguém que apostaria uma soma vultuosa na proposição de que o Homo sapiens durará mais tempo que o brontossauro? Nem sempre o maior e mais forte é o mais estupido.

imagem transparente
Busca

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.