A notícia da terra a um clique de você.
 
03/03/2019 07:30

Útero, onde os fracos não têm vez. A força do esperma

Mário Sérgio Lorenzetto
Útero, onde os fracos não têm vez. A força do esperma

Ainda há muito a ser descoberto sobre o sêmen e os espermatozoides. Inclusive em como fabricar contraceptivos masculinos eficientes. Só agora começarão a testar um contraceptivo masculino criado na China.
O problema é de ordem moral. Por muito séculos ninguém se atrevia a estudar o sêmen. Só com a invenção do microscópio, aparelho à época revolucionário, que os cientistas finalmente conseguiram ver sua composição. Até então, muitos acreditavam que cada espermatozoide continha um pequeno humano adulto enrolado em seu interior.

Útero, onde os fracos não têm vez. A força do esperma

Milhões dos melhores nadadores do mundo disputam a prova.

Você que vive na cidade, imagine uma cascata caindo de um prédio de cinco andares. Sua tarefa é nadar contra a correnteza para cima. Para quem vive no campo, a imagem é uma cachoeira que tem de ser vencida nadando para cima. Esse é o trabalho de Hércules dos espermatozoides. Ou melhor, o trabalho de um espermatozoide com a força de um Michael Phelps, considerado o melhor nadador da história. Você tem alguns milhares de Michael Phelps atras de seu escroto. É nessa região que os espermatozoides são produzidos. Aos bilhões. Uma mera ejaculação pode chegar a até 1,5 bilhão de espermatozoides. A média varia entre 80 a 300 milhões. É uma disputa dos melhores nadadores do mundo onde somente um chega ao marco final, ao óvulo.

Útero, onde os fracos não têm vez. A força do esperma

Os fracos não têm vez, caem na enxurrada e adiós.

A Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, acaba de realizar testes com espermatozoides humanos e de touros para verificar a importância da força.
O sistema reprodutivo feminino é moldado de tal forma que impede espermatozoides fracos de chegar até o óvulo. Os testes revelaram que as amostras com espermatozoides mais fortes eram mais propensas a atravessar os pontos mais apertados, conhecidos como "estenoses", enquanto os mais fracos foram pegos na correnteza que os empurraram para trás.
A fertilização é um jogo brutal. Além da incrível capacidade natatória, os espermatozoides ainda devem vencer a barreira da pequena abertura que liga o útero às trompas de Falópio. Poucos conseguem chegar até essa abertura. Só alguns sortudos conseguirão ultrapassá-la.

Útero, onde os fracos não têm vez. A força do esperma

A receita para ter um espermatozoide forte.

As pesquisas demonstraram que homens que comeram dois punhados mistos de amêndoas, avelãs e nozes diariamente por 14 semanas melhoraram sua contagem de espermatozoides e tiveram mais nadadores viáveis para a fecundação. A pesquisa foi realizada pela Universidade Rovira i Virgíli, de Tarragano, na Espanha. Estão preocupados com a diminuição de espermatozoides no mundo ocidental devido à poluição e aos maus hábitos alimentares.

imagem transparente
Busca

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.