ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  27    CAMPO GRANDE 21º

Em Pauta

Vacina Astra Zeneca: preço e meia dose

Por Mário Sérgio Lorenzetto | 27/11/2020 07:51
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Muitos especialistas já falam na luz no final do túnel. A universidade de Oxford e a empresa farmacêutica britânica Astra Zeneca acabam de anunciar os resultados de sua vacina contra a covid: eficácia de 62% a 90% em função da dose, conservação simples na geladeira, ausência de efeitos adversos graves e tudo isso por apenas três euros (R$19) por dose. É um preço de cinco a sete vezes inferior às injeções das empresas dos EUA Pfizer e Moderna. A Astra Zeneca vem afirmando que não obterá lucro com sua vacina durante a pandemia.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Médicos Sem Fronteiras contestam que a Astra Zeneca não terá lucro.

A entidade filantrópica afirma que os contratos firmados pela Astra Zeneca com alguns países prevê a possibilidade de lucrar até 20% com a vacina. A empresa britânica diz que os 20% cobrados em alguns países servirão para abater os custos de produção e os investimentos. Explica que não pretendem ter lucro durante a pandemia, mas que no pós pandemia só cobrarão barato dos países pobres. Fica claro que apostam em contratos de longo prazo.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Diferença estrondosas de preços.

Enquanto a Astra Zeneca cobrará, em média, três euros (R$19) por dose, a Pfizer cobrará 15 euros (R$96) e a Moderna alcançará 21 euros (R$134). A diferença de preços é estrondosa. Acrescente ainda para as norte-americanas os custos de transporte - elas só funcionam em um ambiente com -70 graus Celsius - e chegaremos a uma conta impagável para países de "classe média" ou "pobres". Ricardo Suárez, presidente da Astra Zeneca, afirma: "Para nós é muito simples, não temos vontade de lucrar [durante a pandemia]. Não sei as razões de nossos concorrentes".


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

3 bilhões de vacinas em 2021.

O compromisso da Astra Zeneca é produzir 3 bilhões de doses em 2021. Acreditam que têm de educar as populações de que eles são parte da solução. Querem ajudar porque têm a ciência, a inovação e os recursos. Pensam a longo prazo. Não querem ter lucros rápidos e queimar a marca como a Pfizer e a Moderna estão fazendo.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

A estranha diferença na eficácia.

A ciência, muitas vezes, toma caminhos inesperados e de difícil compreensão. Os testes da vacina da Astra Zeneca vem demonstrando que, quando administram duas doses completas, só obtêm 62% de eficácia. Todavia, para aqueles que receberam meia dose na primeira injeção e dose completa na segunda, a eficácia chegou a 90%. Quem explica essa ocorrência? Ninguém. Não faz parte de nosso raciocínio que meia dose é melhor que dose inteira de qualquer medicamento ou vacina. Mas essa é a realidade que, até agora, encontraram nos testes. Melhor para o Brasil e demais países,  pois custará mais barato.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário