ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 22º

Finanças & Investimentos

Como começar a investir meu dinheiro?

Por Emanuel Gutierrez Steffen | 24/07/2013 09:06

Investir está na moda. Nunca tanto brasileiros se interessaram pelo mercado financeiro como agora. Milhares de sites “pipocam” todos os dias na web prontos para orientar você sobre o que fazer com o seu dinheiro. Finanças pessoais, e investimentos, são um dos assuntos mais lidos na internet atrás apenas de notícias cotidianas, e entretenimento (futebol/novela). Esse interesse maior em investimentos se dá principalmente pela ascensão de uma nova classe econômica no Brasil nos últimos anos.

Esta nova classe social batizada de a “Nova Classe C” vive um momento de euforia econômica em vários aspectos. O maior número de empregos registrados, aliado a política do governo nos últimos anos, de estímulo ao consumo em determinados setores, e a concessão de crédito, geraram um impacto muito forte no nível de consumo das famílias brasileiras. O comércio convencional (na loja) está em alta, principalmente de artigos eletroeletrônicos, e o comércio virtual espelha o mesmo desempenho – a nova classe C já representa 61% das compras realizadas. Ainda, o maior número de financiamento de veículos e financiamentos imobiliários fomentados por programas como “minha casa minha vida”, e pela redução do IPI.

Enfim, esta classe formada principalmente por jovens (55%), na faixa dos 18 aos 30 anos de idade, da qual eu e talvez muitos de vocês leitores faz parte, está literalmente “bombando” no consumo. Todo esse mundo novo, porém tem um lado negro. As famílias brasileiras da classe C já comprometem hoje até 42% da sua renda com dívidas. Esse cenário reflete á falta do ensino de finanças básicas em nosso país. Todo este estímulo ao imediatismo que observamos não veio acompanhado de uma orientação para a necessidade de se programar este consumo, com vistas as suas consequências no futuro.

Mais do que em qualquer outro momento percebemos a urgente necessidade de se trocar a palavra “consumo” pela palavra “investimento” no vocabulário financeiro dos brasileiros. Esta mudança já começou, e passada a euforia das compras o que se percebe é que muitas pessoas (infelizmente não á maioria) tem “aprendido a lição” – muitas vezes duramente - e voltado seu conhecimento para á busca das melhores formas de fazer o seu dinheiro render e não mais cair em armadilhas como a do consumo imediato, e do crédito fácil. Como já mencionei anteriormente, investimentos passam a ser agora um dos assuntos mais procurados na web, levantando á necessidade de se encontrar referências no assunto, além de conteúdos de qualidade e boa fé.

Quando se trada de investimentos chovem pseudo-especialistas (principalmente na internet) prontos para indicar aquela “tacada de mestre”, ou ansiosos para lhe mostrar á “oportunidade imperdível” para colocar o seu dinheiro “suado” conquistado a “duras penas”. Então a primeira coisa a ser dita é: Seja cauteloso! Principalmente com estas oportunidades mirabolantes que surgem de tempos em tempos ao nosso redor. Saiba que afirmo isto, pois nenhuma outra pessoa sabe o valor do seu dinheiro mais do que você mesmo. Apenas você sabe o que passa ao longo do trabalho, as metas de vendas e de produtividade que tem de bater, os clientes que atura todos os dias, o patrão mala sem alça, e etc. Então o melhor caminho é fazer você mesmo e andar com as próprias pernas, aprendendo sempre o máximo que puder com humildade. Seja agente ativo em sua vida financeira e não apenas expectador, afinal o maior interessado é você mesmo.

Se você como eu deseja ter um futuro mais digno como: não depender de seus filhos para sustenta-lo na velhice; ter conforto e liberdade de ir e vir, e de fazer acontecer; se você não quer depender do estado e de seus serviços precários como saúde, segurança e transporte; se você quer ter á simples opção (muitos na tem opções) para fazer coisas que ama como viajar, conhecer o mundo e etc. Então Investimentos é um assunto que definitivamente deverá fazer parte (se já não faz) de sua vida a partir de agora.

Ok! Quero tudo isso, mas por onde eu começo? Consultores e planejadores financeiros profissionais (autorizados pela lei a exercer essa atividade) são unanimes ao afirmar que a primeira ação para se começar a investir é “fazer a lição de casa”, ou seja, controlar o seu orçamento. Este talvez seja um hábito difícil para algumas pessoas tão acostumadas ao consumo imediato. Se este for o seu caso, reveja os seus objetivos de vida e verifique se vale a pena trocar seus sonhos e projetos futuros por prazeres momentâneos. Não esqueça: O valor do esforço de uma ação está no resultado que pode ser obtido a partir dela.

Depois que você fez a lição de casa – controlou seu orçamento (pegou o hábito de acompanhar suas receitas, despesas, e controlar o consumo) a ponto de fazer sobrar dinheiro todo mês - você já pode se atentar para os três passos básicos para se começar a investir.

Passo 1 - Identifique qual o seu perfil de investidor.
Passo 2 - Defina seus objetivos e metas de curto, médio e logo prazo.
Passo 3 - Desenvolva sua disciplina, autocontrole, e invista na sua educação financeira.

Vou discorrer sobre cada um desses temas em artigos individuais, pois acredito que o aproveitamento em nosso aprendizado será maior se as bases na qual ele vai ser assentado estiverem bem colocadas. Afinal não se constrói nada sobre a areia e sim sobre a rocha.

A ideia então é dar bases sólidas a sua vida financeira, pois o esforço só valera apena se você souber o porquê está fazendo, e para qual objetivo caminha, e não apenas “fazer por fazer” ou “ir na onda” de investimentos da moda. Por fim, quero deixar claro que investimentos são caminhos, e processos bem estruturados para a busca de determinados fins, e - como tudo na vida que realmente tem valor - exige do candidato a investidor, um certo trabalho, dedicação, e principalmente perseverança para se colher os frutos financeiros com alegria ao final da jornada.

Para concluir é importante frisar que não existe uma regra única para se começar a investir. Fuja de fórmulas mágicas, o mapa do tesouro para o sucesso em investimentos não existe. Cada um deve procurar as soluções, e os melhores veículos de investimentos que sejam mais indicados ao seu perfil, as suas possibilidades, ao seu projeto de vida, e aos seus objetivos.

Então, o que você achou deste artigo? Comente, envie suas sugestões, deixe sua contribuição para que também sirva de aprendizado a outros.

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

Emanuel Gutierrez Steffen

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário