A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


14/03/2014 07:36

Como lidar com a emoção na hora de tomar uma decisão financeira?

(*) Emanuel Gutierrez Steffen

Comprar sem planejamento é sempre ruim, pois a falta de critério normalmente leva ao exagero e abre brechas para o endividamento do consumidor. Neste sentido, existem momentos específicos que possuem um potencial devastador para suas finanças: os momentos de grande emoção. Sob a ótica pessoal, os momentos de muita euforia podem ser bons ou ruins. Levando em conta o aspecto financeiro, gastar mais do que o possível nesses momentos é muito comum. A verdade é que devemos evitar decisões financeiras impactantes quando estamos sob efeito de emoções fortes. No momento, a compra parece perfeita, maravilhosa, mas durante muito tempo, esse ato, muitas vezes, impensado poderá atrapalhar os novos planos de vida.

Imagine a seguinte situação: ao chegar em casa, após algum tempo de um ótimo casamento, você é recebido por uma esposa eufórica, que diz: “Você será papai!”. Aconteceu com você? Parabéns! Filhos são maravilhosos, mas este momento é marcado por enorme emoção e, algumas vezes, também por decisões financeiras equivocadas. No primeiro momento, você percebe que irá precisar comprar móveis novos, roupas para o bebê, fazer uma reforma aqui e outra ali. Alguns consideram trocar o carro por um maior e até mesmo comprar ou alugar uma nova casa. Todos estão felizes! A emoção é intensa e os valores, os preços e o raciocínio financeiro tendem a não parecer significativos. Cuidado! Em situações assim, é normal que muitas famílias recorram ao financiamento, pois querem garantir rapidamente tudo de melhor para o filho que demora nove meses para nascer.

Vá com calma! Comece desfrutando os momentos de felicidade: um jantar e um bom papo podem ter um delicioso efeito e ajudar na comemoração. Então respire fundo e, com muita prudência, converse com seu companheiro (a) sobre quais deverão ser os passos a tomar. Planeje, respeitando o orçamento, seus investimentos e o padrão de vida. Será que o berço mais caro é realmente indispensável? Aquele um pouco mais simples, mas confortável e que cabe no seu orçamento não é a melhor opção? Afinal, seu filho não o usará para sempre. Use o exemplo para refletir sobre outros momentos de emoção. Coloque-se diante de perguntas que a empolgação, a felicidade e a emoção geralmente evitam! Não deixe que o impulso fale mais rápido e liquide todo o planejamento feito.

Existem outros exemplos, como receber uma promoção no trabalho, a formatura, a negociação/compra de um bem de valor alto (carro, imóvel etc.). Devemos sempre nos preparar para as situações que podem ocorrer e ter definida uma estratégia para o futuro. Para isso, imponha limites de orçamento mesmo que o momento seja especial. Se a emoção é positiva, comemore, extravase toda a alegria, mas com critérios financeiros respeitados, sem dar um passo maior que a perna. A alegria e a recompensa serão ainda maiores. E você amigo leitor o que achou? Não deixe de comentar. Até a próxima!

Fonte de informações: consumidorconsciente.org

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen– Criador do portal www.manualinvest.com

Ensinando o básico da ciência econômica para suas crianças
Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. Provérbios 22:6. Como criar métodos para iniciar os joven...
Redistribuição de renda não elimina a pobreza
Desigualdade não é pobreza! Dentro do imaginário coletivo, os conceitos de "pobreza" e "desigualdade" que se tornaram sinônimos: se há pobres é porqu...
A vitória segue a renda
Lembrei que equipes brasileiras campeãs aqui dentro vinham perdendo para equipes de outros países da América do Sul, sem falar da vexatória derrota p...
A automação e os empregos do futuro
"Relatório sugere que quase metade dos empregos nos EUA é vulnerável à automação", grita uma manchete de jornal. O grito de que "os robôs irão roubar...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions