ACOMPANHE-NOS    
MAIO, DOMINGO  22    CAMPO GRANDE 24º

Finanças & Investimentos

Custo Brasil e o Playstation 4

Por (*) Emanuel Gutierrez Steffen | 13/11/2013 07:38

Impossível um artigo que pretenda abordar o assunto, custo Brasil, e que não venha á citar o seu exemplo mais recente e óbvio a todos os olhares. Adoro videogames, e com certeza um “PS-4” faz parte da minha lista de sonhos de consumo. Para quem não conhece, o Playstation 4, é um dos lançamentos eletrônicos mais aguardados dos últimos anos. Ora, mas o que tudo isto tem a ver com o custo Brasil? Vamos primeiro entender o que é o custo Brasil, para depois compreender a sua relação com este console da Sony. Segundo a enciclopédia eletrônica Wikipédia, o “custo Brasil”, é um termo genérico usado para descrever o conjunto de dificuldades estruturais, burocráticas e econômicas que encarecem o investimento no Brasil, dificultando o desenvolvimento nacional, aumentando o desemprego, o trabalho informal, a sonegação de impostos e a evasão de divisas. Por isso, é apontado como um conjunto de fatores que comprometem a competitividade e a eficiência da indústria nacional. Em geral, o termo é largamente usado na imprensa, fazendo parte do jargão econômico e político local.

Exemplos do Custo Brasil são:
• Corrupção administrativa pública elevada;
• Déficit público elevado;
• Burocracia excessiva para criação e manutenção de uma empresa;
• Cartelização da economia
• Manutenção de taxas de juros reais elevadas;
• Spread bancário exagerado (um dos maiores do mundo)

O custo unitário do trabalho no Brasil é um dos mais altos do mundo, o que faz com que os produtos da indústria de transformação brasileira tenham um valor muito acima dos fabricados em outros países, inclusive parceiros comerciais. Começou a entender a relação do custo Brasil com o “PS-4”? Por muitos anos, o real valorizado contribuiu para manter baixo o custo das importações, favorecendo a entrada de produtos diferenciados na cesta de bens do consumidor brasileiro. A produção de itens no mercado doméstico, porém, é extremamente cara. Como exemplo, o já citado Playstation 4, chega às lojas nacionais por R$ 4.000, enquanto nos Estados Unidos pode ser encontrado por US$ 400 (aproximadamente R$ 880). Não acredita? Confira você mesmo a diferença nos portais da amazon.com e americanas.com.br.

O mercado está repleto de outros exemplos de produtos vendidos no Brasil com preços estratosféricos, indo desde smartphones (que custam R$ 2.300 e não passam de US$ 600 (R$ 1.300) no exterior), passando por diversos modelos de carros (que aqui são considerados de luxo), até á apartamentos de características semelhantes que saem por preços menores em Miami do que no Rio de Janeiro ou em São Paulo.

De quem é a culpa? Você já sabe a resposta! Esta diferença está relacionada “principalmente” ao conjunto de obstáculos econômicos que dificultam a entrada de novas empresas no mercado, e que reduz a competitividade do produtor, conhecido como: “custo Brasil”. Segundo dados do Banco Mundial, o Brasil é um dos países com maior dificuldade para se abrir um negócio, com 13 procedimentos necessários à criação da empresa e cerca de 119 dias até que o processo esteja completo, enquanto a média para os países da América Latina é de nove procedimentos e 51 dias.

Os problemas não param por ai, pois o empreendedor (aquele que gera emprego e renda pela exploração de sua atividade econômica) ainda tem de enfrentar gastos com segurança privada (não preciso explicar), transporte custoso (Ex: Campo Grande depois das chuvas fortes), aluguéis caros, a maior taxa de juros do mundo em financiamentos (acredito que você sabe bem o que isso) e a divisão dos lucros com o governo por meio de (muitos) impostos. Com todo este contexto, fica distante a possibilidade de tornar o produto interno mais competitivo no mercado. Entendeu a relação entre o custo Brasil e o PSY 4? Você amigo leitor, também já se deparou com diferenças como estas? Contribua com seu comentário! Enquanto isso fico mesmo é com o “jogo paciência” aqui no meu PC, pelo menos por enquanto. =D Até a próxima!

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas conseqüências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.manualinvest.com

Nos siga no Google Notícias