A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Junho de 2017


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


06/01/2014 07:59

Estratégias em 2014 - Renda fixa e Investimentos no exterior

(*) Emanuel Gutierrez Steffen

Uma gestora de recursos de um banco múltiplo com atuação nacional e internacional apresentaram as perspectivas para os investimentos em 2014 que são muito interessantes, pois revelam ao leitor um panorama de tudo o que se espera ao longo deste novo ano. Segundo esta gestora os fundos multimercados em 2013 foram um dos produtos que apresentaram melhores resultados devido á uma estratégia que deve continuar a dar bons frutos em 2014, que é o investimento de parte do patrimônio em ativos no exterior.

Com a recuperação econômica dos EUA e Europa em 2014 da crise financeira dos últimos anos, e consequentemente, com a retirada dos estímulos à economia (o que gera a valorização do dólar) aplicar no exterior deverá ficar ainda mais interessante. A previsão da gestora é que 2014 termine com o dólar a 2,50 reais. Para quem ainda não conhece este produto, os fundos multimercados são fundos que possuem maior flexibilidade quanto à escolha dos ativos que compõem a sua carteira, investindo em ativos de renda fixa e renda variável, e que podem ainda, investir até 20% de seu patrimônio no exterior, podendo ser abertos a qualquer tipo de investidor.

Com o juro e inflação altos, outro investimento que deve se destacar é a renda fixa atrelada à inflação. As Notas do Tesouro Nacional-série B (NTN-Bs) negociadas via Tesouro Direto atualmente pagam 6% ao ano acima da inflação, e com uma possível alta ainda maior da taxa básica de juros (Selic), podem passar a oferecer juros ainda maiores. A Selic esta projetada em 10,5% no fim de 2014, e uma inflação de 6,4%, esbarrando no teto da meta do Banco Central que é de 6,5%.

É um momento interessante para começar a montar posições em papéis de renda fixa de longo prazo que gerem esse juro real de 6% ao ano. Quando o ciclo de alta de juros americanos acontecer, o juro brasileiro pode voltar a cair. Ainda segundo esta gestora, para um jovem de 30 anos, por exemplo, NTN-Bs com vencimentos em 2035 e 2050 podem ser uma ótima maneira de formar uma boa poupança para o futuro. Mas tome cuidado: a perspectiva ainda é a de alta de juros, papéis comprados agora prometendo um juro de 6% ao ano acima da inflação podem oscilar para baixo quando a Selic subir mais. Assim, é melhor carregar o investimento até o vencimento e comprar os novos títulos que paguem mais, do que vender o título antes do fim do prazo, podendo adquirir perdas.

Resumindo amigo leitor, á ideia aqui é montar uma posição neste cenário atual, com a perspectiva de queda da taxa de juros no futuro, mesmo que no curto prazo a tendência ainda seja de aumento podendo chegar a 10,5% ao fim deste ano como citado anteriormente. Fica a dica da análise da gestora de recursos para este ano de 2014. Com base na conjuntura atual é possível montar uma estratégia para quando o cenário se inverter. Até a próxima!

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.manualinvest.com

4 passos para sair do superendividamento
Toda semana recebemos mensagens de leitores realmente desesperados. Muitos destes que conversam conosco se encontram em uma situação grave de endivid...
Gere mais renda revendendo importados
Uma das formas mais seguras de gerar renda extra ou de iniciar um negócio de sucesso é através de produtos para revender. Isso porque independente do...
Conselhos aos jovens que estão desempregados
Segundo o IBGE, o desemprego entre os jovens é de quase 29%. E não há perspectivas de uma rápida melhora. A nova geração encara desafios que a maiori...
Por que políticas de estímulo geram recessões
A falácia da vidraça quebrada, popularizada por Frédéric Bastiat, continua sendo a metáfora perfeita para mostrar as consequências daquilo que se vê ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions