A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Junho de 2017


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


14/02/2014 08:42

Parcelamos em 10x sem juros! Será mesmo?

(*) Emanuel Gutierrez Steffen

Atualmente está cada vez mais comum ver anúncios do tipo “10 vezes sem juros” ou até “carro com juro zero“. O problema é que não existe parcelamento sem juros. E pior parte: mesmo sem saber, quem está pagando os juros é você. Tanto na compra a prazo de um automóvel ou de qualquer bem de consumo, você está pagando juros. O objetivo deste artigo é apresentar várias situações onde – supostamente – é oferecido um produto com pagamento parcelado e sem juros, e explicar porque em cada uma dessas operações há a incidência dos juros.

O primeiro exemplo são os automóveis. Não existe carro com juro zero. Apesar das soma das parcelas ser igual ao valor do financiamento, isso não quer dizer que você não pagou juros. Das formas mais criativas, a concessionária e a instituição financeira embutem os juros para você pagar: desconto se pagar à vista, TAC, IOF, tanque cheio ou IPVA grátis. Você está pagando por tudo isso não sabe. Veja um depoimento do presidente da Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef), retirado de uma matéria da Exame.com publicada em maio de 2010: Décio Carbonari de Almeida, presidente da Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef), é taxativo quando o assunto é o preço dos carros parcelados. “Sempre existiu alguma forma de incentivo de vendas, criatividade é o que não falta. Mas a verdade é que nenhum banco trabalha com taxa zero“, admite.

Outra situação muito comum são ofertas que vemos em praticamente qualquer estabelecimento comercial, seja ele físico ou virtual: “parcelamos em até 10 vezes sem juros“.

Esta é outra propaganda para lá de enganosa. Tanto é que a maioria das lojas dee-commerce já oferecem “descontos” para quem paga à vista ou no boleto. Se a que você normalmente compra não oferece, faça uma rápida busca na internet e certamente vai encontrar rapidamente uma que ofereça. Sabe o que isso significa? Que o preço realmente à vista é aquele com desconto e que o parcelamento “em 10 vezes sem juros” está, na verdade, com os juros embutidos. E se a loja que eu compro não oferece desconto para pagamento à vista? Ainda assim os juros estão lá. E quem comprar à vista, nesse caso, vai perder ainda mais. Por isso que existem raras exceções onde comprar à vista não é a melhor opção. E se meu pai me emprestar R$ 20 mil para eu comprar um carro e não cobrar juros? Ainda assim há juros. A diferença é que, nesse caso, quem está pagando os juros é seu pai. Pense comigo: se seu pai deixasse esse dinheiro na poupança, estaria ganhando pouco mais de R$ 100,00 por mês. Se ele deixa de ganhar esse dinheiro, está pagando para te ajudar. Isto se chama custo de oportunidade.

Em qualquer parcelamento, o lojista paga taxas administrativas e ainda demora alguns dias para receber dinheiro. Inclusive se ele não tiver capital de giro suficiente, terá que recorrer a empréstimos de curto prazo ou hot money (operação bancária de empréstimo a curtíssimo prazo). Modalidades como a antecipação de recebíveis (antecipação dos parcelamentos de pagamentos recebidos com o cartão de crédito, duplicatas, e cheques, por exemplo) realizadas pelos bancos as empresas, também cobram juros muito altos, que com toda certeza também são repassados ao consumidor na composição do preço final do produto, para garantir a lucratividade das vendas. Por essa razão, receber à vista é sempre a melhor opção para o lojista. Se você acha que eles preferem receber a prazo, pode ter certeza que é porque existem juros embutidos nas prestações. Deixe um comentário e compartilhe sua opinião!

(*)Fonte informações: blog, quero ficar rico

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.manualinvest.com

4 passos para sair do superendividamento
Toda semana recebemos mensagens de leitores realmente desesperados. Muitos destes que conversam conosco se encontram em uma situação grave de endivid...
Gere mais renda revendendo importados
Uma das formas mais seguras de gerar renda extra ou de iniciar um negócio de sucesso é através de produtos para revender. Isso porque independente do...
Conselhos aos jovens que estão desempregados
Segundo o IBGE, o desemprego entre os jovens é de quase 29%. E não há perspectivas de uma rápida melhora. A nova geração encara desafios que a maiori...
Por que políticas de estímulo geram recessões
A falácia da vidraça quebrada, popularizada por Frédéric Bastiat, continua sendo a metáfora perfeita para mostrar as consequências daquilo que se vê ...



É o que eu sempre tento explicar a Brasileiros (eu não sou), mas dificil de convencer colegas e parentes que este é o caso. Juro zero não existe, porque quem fornece o serviço de vender a prazo sem juros tem que paga-los. E já que qualquer lojista quer lucro, e não patrocinar os clientes, é mais do que obvio que o custo que ele tem para financiar o estoque é repassado para os clientes.
Tenta vc mesmo: vai para uma loja que disse não cobrar juros, como a Casas Bahia. Fecha uma compra. Anota o preço parcelado. Agora fala com o vendedor que você considera a compra, mas só se é possivel pagar a vista com desconto. Se vai ver. Aquele preço a vista de repente pode baixar uns 10%...
 
Marcos da Silva em 14/02/2014 10:14:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions