A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 22 de Junho de 2017


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


04/12/2013 07:52

Você sabe o que é “Crowdfundig”, ou financiamento pela multidão?

Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Você já ouviu falar nesta palavrinha estranha chamada “Crowdfundig”...já posso imaginar o pensamento de muitos...”Crowd” o que!? O termo é mesmo estranho para quem ainda não está habituado, mas trata-se apenas de uma expressão da língua inglesa para designar algo que em português seria um “financiamento coletivo”, ou “financiamento pela multidão”. Ok pensa o amigo leitor, mas o que isso significa na prática. Crowdfundig ou financiamento pela multidão é um movimento recente e inovador na forma como pessoas sejam ela físicas ou jurídicas viabilizam projetos e sonhos.

Ainda engatinhando aqui no Brasil, este (novo) modelo permite que pessoas busquem recursos financeiros para financiar seus sonhos e projetos através de micro contribuições de sua rede de contatos, amigos, parentes, amigo de amigos, e até estranhos. Esta ideia é tão bacana que vem causando alvoroço desde que começou a florescer. Qualquer pessoa pode doar quantias em dinheiro a projetos que chamarem atenção nos sites, recebendo pela doação recompensas não financeiras. Em todo o mundo por volta de 2009 e 2010, várias plataformas surgiram na internet. Nomes como Kickstater (EUA) e Ulue (europeu) são as referencias neste segmento, e já permitiram que muitos projetos se tornassem realidade, já movimentanto milhões em contribuições.

No Brasil os principais portais que começam a se despontar são o Vakinha (www.vakinha.com.br) e Catarse (catarse.me/pt). Apesar de funcionarem com dinâmicas diferentes, o principio de arrecadação de recursos de terceiros é o mesmo. O portal Vakinha é uma versão on-line de um hábito ha muito conhecido pelos brasileiros, seja para festas de casamento, ou caridade. Já o Cartase possui uma outra dinâmica, no ar desde janeiro de 2011, o idealizador cadastra o projeto no site e aguarda a avaliação de acordo com os pré-requisitos de criatividade, oferecimento de benefícios coletivos e recompensas para quem doar. É preciso ainda definir bem os objetivos e a forma de utilização do dinheiro, além de não ser um projeto de caridade (há outros sites que aceitam esse tipo de iniciativa como o vakinha). A avaliação dos projetos no Catarse é bem rigorosa: apenas 30% dos projetos enviados vão ao ar.

Após o projeto ser aprovado, ele é aberto para a arrecadação, e o autor só recebe o dinheiro se for atingida meta no tempo determinado, caso não atinja a meta, o dono do projeto não recebe nada e as contribuições realizadas são devolvidas (é o tudo-ou-nada). As contribuições são feitas por meio do Paypal, ferramenta de pagamento online, como uma compra regular. O Catarse fica com 13% do valor arrecadado dos projetos bem-sucedidos. O número geral da plataforma até hoje é de 86 mil apoiadores, totalizando R$ 10,6 milhões em doações.

Seguindo a mesma linha, temos também um case regional (MS), o portal Mayel (www.mayel.com.br) sendo pioneiro no estado. A plataforma além de permitir a troca de contribuições entre os usuários promete ainda em 2014 oferecer outras vantagens exclusivas que tornaram o processo de angariação de recursos ainda mais envolvente, e eficaz. Vamos aguardar estas novidades.

Os números do setor revelam que o “Crowdfunding” veio para tomar seu espaço na vida dos brasileiros, sendo este apenas o início de seu crescimento. Este assunto é tão interessante que achei por bem analisarmos futuramente suas principais características com um pouco mais de profundidade. E você leitor, gostou deste modelo, já conhecia algo parecido? O que você acha de angariar recursos para o que você precisa através deste método. Compartilhe sua opinião, pois nos próximos artigos abordaremos um pouco mais desta nova onda que chegou para ficar. Até a próxima.

Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.manualinvest.com

4 passos para sair do superendividamento
Toda semana recebemos mensagens de leitores realmente desesperados. Muitos destes que conversam conosco se encontram em uma situação grave de endivid...
Gere mais renda revendendo importados
Uma das formas mais seguras de gerar renda extra ou de iniciar um negócio de sucesso é através de produtos para revender. Isso porque independente do...
Conselhos aos jovens que estão desempregados
Segundo o IBGE, o desemprego entre os jovens é de quase 29%. E não há perspectivas de uma rápida melhora. A nova geração encara desafios que a maiori...
Por que políticas de estímulo geram recessões
A falácia da vidraça quebrada, popularizada por Frédéric Bastiat, continua sendo a metáfora perfeita para mostrar as consequências daquilo que se vê ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions