A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


30/12/2016 10:19

Algo mudou, só os políticos não percebem

Manoel Afonso

NA MOSCA As centrais sindicais estão 'pê da cara' pelo risco de ficarem sem o velho dinheiro carimbado do imposto sindical. Essa CLT octogenária, ranço das ditaduras fascista italiana e de Getúlio Vargas foi ignorada pelos governantes anteriores. Basta de sindicato por profissão, federação dos sindicatos e confederação para acolher as federações.

O MUNDO mudou! A flexibilização da jornada de trabalho vai ajudar na manutenção de empregos. Um exemplo: essas duas horas para o intervalo do almoço é ainda da época em que o operário ia para casa almoçar. Andando pelas proximidades das empresas após o almoço vemos operários ao celular esperando para bater o ponto.

PERUS E POLÍTICOS Foi um Natal diferente: perus na ceia natalina e políticos na cadeia – além de outros à caminho. Como diz o autor de novelas Walcir Carrasco: “Assim como os perus, a safra de políticos se renova sempre. E todos fazem glu-glu... Algo mudou. Falta aos políticos perceberem”.

TRAMOIAS Não faltaram em 2016. Das escabrosas descobertas da Operação Lava Jato à ‘ingênua’ frase do deputado estadual Paulo Corrêa (PR) pinçada num papo gravado por um pastor. Aliás, impressiona a nomeação de pastores para a assessoria de vereadores e deputados. Seria função deles fazer correntes de orações para livrar do inferno seus patrões pecadores? Só pode!

HO, HO, HO! Duas previsões fáceis de acertar: A primeira - 2017 como ano difícil. Segunda – o deputado estadual Maurício Picarelli (PSDB) aliviando como corregedor que ‘apurou’ o episódio da gravação da conversa entre seus colegas Paulo Corrêa (PR) e Felipe Orro (PSDB). Acostumado ao refrão “minhas comadres e meus amigos”, ele esqueceu: o número de eleitores é bem maior do que o seu universo televisivo. Haverá forte renovação em 2018; muitos deputados lembram os perus e já fazem glu-glu.

CAMPO GRANDE O porte da Capital faz a gente esquecer do tamanho e potencial do município. Todos os eleitos para a Câmara Municipal moram na sua sede. Não têm a visão global do município. Penso que a futura administração deveria se socorrer do Sindicato Rural para ter um mapa da situação sócio-econômica (carências e potenciais) visando nortear suas ações iniciais nesta época de chuvas. Fica a sugestão.

E BASTA? Nada contra a nomeação da vereadora Luiza Ribeiro (PPS) para o cargo de Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura. Parabéns! Representará o que mesmo em termos de benefícios para o MS? Ora! Nosso Estado, em termos de representação no Governo Federal precisa de algo mais abrangente à altura das nossas necessidades. Continuamos nanicos. O que nos salvou foi a nomeação do ex-deputado Antonio Carlos de Oliveira para a chefia da Sudeco. E foi só!

EU AVISEI... Alcides Bernal sem o perfil para ser prefeito de Campo Grande. Sem amigos, não formou uma equipe técnica à altura. Egocêntrico, inseguro, complexado, rançoso, não adotou a humildade como parceira. Ele pode se ‘gabar’: até aqui, o pior prefeito da Capital. Deixa uma herança maldita, várias pegadinhas para o sucessor. Da Câmara Municipal ele não poderá reclamar; recebeu R$ 6 milhões que não foram gastos e que de alguma forma ajudam a saldar compromissos em aberto. Tchau, Bernal.

O AQUÁRIO ‘Data venia’não se pode esquecer sua imponência, o que já foi gasto, a falta de planejamento para incluí-lo no rol das prioridades. Esse caso mostra a necessidade dos governantes consultarem antes a população sobre certos investimentos. O mesmo estilo personalista de se aplica ao ex-presidente Lula (PT) na construção de estádios de futebol inúteis em Manaus, Brasília e Cuiabá. Dinheiro no ralo.

DETALHE No balanço anual da Assembleia Legislativa constam 17 projetos de lei vetados pelo Executivo, 13 retirados e 25 com pareceres contrários da CCJ. É como eu digo: os deputados precisam e devem estudar, consultar a assessoria, antes de assinar proposições inúteis. Não dá mais para tentar reinventar a roda.

A PROPÓSITO A deputada estadual Antonieta Amorim (PMDB) assina projeto que pede ações de proteção do Aquífero Guarani. A intenção é boa, mas sem amparo legal. Ora! A Constituição Federal diz que o subsolo é propriedade exclusiva da União. Lembro: em 2016 o nosso Tribunal de Justiça declarou inconstitucional o decreto prefeitural de 27/12/2012 que proibia a abertura de novos poços artesianos e determinava o fechamento dos já existentes na nossa capital. O Sinpetro foi autora desta ação vitoriosa. O decreto do prefeito era corporativista, extrapolou sua competência.

DINAMITES O Exército de saia justa neste episódio em que mais de 200 quilos de dinamites foram roubadas de uma pedreira na Capital. Quais os critérios para autorizar o uso e armazenamento destes explosivos? Francamente, tinha outra imagem desta instituição quanto ao seu rigor e organização. Os bandidos estão agradecidos!

UM INSULTO O anúncio do Partido dos Trabalhadores de que pretende lançar a candidatura de Lula à Presidência da República só pode ser interpretado como um verdadeiro escárnio à desfaçatez com que trata o delicado momento nacional, alegando que se trata de um projeto de reconstrução da economia nacional. Esse pessoal está abusando da paciência e da inteligência do povo brasileiro.

‘HÁ ESPERANÇA’ Contra as projeções pessimistas, uma notícia que irá melhorar o astral de todos. O ex-jogador e hoje comentarista esportivo Walter Casagrande Junior, o Casão, está de namoro firme com a cantora baby Consuelo, ou baby Brasil, ex-Novos Baianos e atual pastora e fundadora do Ministério do Espírito Santo de Deus em Nome do Senhor Jesus Cristo. Como se vê, nem tudo estará perdido em 2017. Deus continua brasileiro - apesar dos 12 milhões de desempregados. Até!

“Ano novo, vida velha. A vida é mais do que calendários, fusos ou órbita gravitacional.” (Carlos Heitor Cony)

Os desafios do candidato Jr. Mochi
E AGORA? Inegáveis o bom conceito e a simpática imagem do deputado estadual Jr. Mochi – no exercício do mandato, fora dele ou ainda por onde passou a...
Convencer o eleitor - a difícil missão.
INTERESSANTE Num país onde a classe política está desacreditada mesmo com 35 partidos regularizados as eleições prometem em nosso Estado um clima de ...
André ajuda ou atrapalha Simone?
EMBORA as negociações políticas ainda estejam em curso nos bastidores, mesmo a distância não é difícil perceber que até aqui o grupo político ancorad...
Corrupção, alegra poucos, desgraça muitos
SEMÁFORO Será que nossos políticos sabem o significado de seus sinais? Fico observando as suas manobras e planos antes da campanha começar e vem à ca...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions