A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


13/01/2012 11:00

Amplavisão

Manoel Afonso

‘O CANDIDATO’ A postura do candidato republicano Mitt Romeney enseja-nos mergulhar na construção de uma candidatura majoritária - em qualquer nível - em regimes que sejam democráticos como Brasil e USA.

NO CASO de Romeney ele aproveita o vácuo de lideranças no seu partido e as decepções/dúvidas que cercam a administração de Obama. Aliás, ambos representam exatamente a crise de liderança política vivida pelos americanos.

IMAGINE a estrutura e assessoria envolvendo a candidatura deste porte. Cada gesto e palavras são milimetricamente estudados. Não há espaço para ‘improvisos’ (“made in Lula”) que possam motivar críticas e questionamentos na mídia.

O EXECUTIVO tem ‘charme’; atrai pela caneta e o Diário Oficial. Esse olhar vale ‘de Terenos até a Casa Branca’. Excluída apenas a ‘ distância’ entre ambas, o caminho a percorrer pelos pretendentes exige, no mínimo, posturas diferenciadas.

AS ELEIÇÕES reduzem o universo/ fomentam o imaginário popular. Se o americano questiona a poligamia da religião (mórmon) de Mitt Romeney, nosso eleitor interiorano não é diferente: disseca ‘até a alma’ dos pré-candidatos.

ESTEREÓTIPOS variam. Tancredo e Collor eram opostos em tudo. Cada qual com seu lado atraente. Assim como Kennedy, FHC, Bill Clinton, Tony Blair, Margareth Thatcher,, Maluf, Erundina, ACM, Pedrossian e Lúdio .

MUDAR o personagem do candidato é errado. Nem todos têm o sorriso do Tony Blair, tocam piano como o Maluf ou sax como Bill Clynton. Antônio Ermírio foi 10: perdeu mantendo o estilo; não se violentou e valorizou a própria imagem.

A IMAGEM está associada a reputação, caráter e trajetória pessoal. Veja: a fama de canalha acompanhou o ex-deputado Sergio Naya até a sepultura, enquanto o ex-senador Jeferson Perez (AM) deixou-nos um legado de honradez.

ESTIGMA é a condenação – antecipada – pela opinião pública. Impossível se livrar dele. Na vida pública Maluf e Artuzi servem de referências: carregarão esse fardo para sempre, mesmo que sejam absolvidos pela Justiça.

O ELEITOR é critico, mas é passional e conivente. Pode isso? É seu dever ouvir, questionar, comparar e observar os políticos e candidatos. Não pode apenas preservar apenas a cesta básica, mas a dignidade de sua família.

AVANÇOS Um deles é a propagação das escolas profissionalizantes federais, onde o deputado Biffi tem sido o grande batalhador. Com elas nossos jovens terão maiores chances no mercado de trabalho, cada vez mais exigente.

REPETECO A polícia finge que prende; o contraventor finge que é preso. Ironias à parte, o jogo do bicho é tido como uma instituição séria, onde ‘vale o escrito’. Agora, cabe ao Governo achar uma fórmula de legalizá-lo.

O GOVERNO é o ‘rei do jogo’. Não tem sentido jogar os bicheiros na clandestinidade. O recente episódio no Rio de Janeiro mostra isso. Ora! Será que o Governo não ouve as vozes das ruas – favoráveis à legalização da ‘contravenção’?

E PODE? Estaria ou não configurada a propaganda antecipada de Antônio João com sua foto no anúncio do PSD em ônibus urbanos da capital? Ele se diz candidato, mas a propaganda só é permitida após as convenções partidárias.

RECONHECE o TSE como propaganda quem divulga, mesmo dissimulada, a candidatura ainda que ela não seja oficial. E olhe que o empresário já teve problemas com a Justiça Eleitoral pelos mesmos motivos. Não aprendeu?

RADICAIS do Governo, que idolatram a Ditadura de Fidel e rejeitaram a Constituição, querem levar a Comissão da Verdade para rumos inoportunos. Na vida é preciso saber ‘virar a página’. O país tem novas prioridades.

BOLA CHEIA Na edição anterior falei do reconhecimento pela revista Veja da atuação do Giroto e Fábio Trad. Mas cometi um deslize e omiti o fato de Moka ter sido apontado como 3º senador mais atuante. Fica o nosso registro.

‘O PARTO’ A sucessão definitiva de Marcelo Miranda no Dnit não será resolvida a curto prazo. As circunstâncias nebulosas indicam: os interesses políticos colidem com a capacitação profissional/ perfil que o cargo exige.

É PÚBLICA a disputa entre PT/PMDB pelo cargo. Lembram? Até o Teruel, que não é engenheiro do ramo, foi lembrado. Sem ilusões, nos bastidores, os cardeais dos dois partidos articulam para emplacar o superintendente definitivo.

SÓ ESPERANDO Com candidato definido, o PT assiste de camarote a batalha de bastidores dos aliados de André e Nelsinho. Sonha em ser beneficiado pela eventual insatisfação de algum adversário. Mas não é bem assim.

OS ADVERSÁRIOS do PT têm como contemplar facilmente os partidos na administração. Prefeitura e Parque dos Poderes estão mais pertos e são mais acessíveis do que o burocrático Palácio do Planalto.

OS PETISTAS daqui tem encontrado imensas dificuldades em Brasília para emplacar nomeações que contemplem companheiros e aliados. Quantos deles estão aí no sereno esperando uma boquinha? O João Grandão foi último felizardo.

“Eu não mudei ideologicamente. A vida é que muda” (Lula)

MS 40 anos: faltou competência política
BALANÇO Não perdemos para Cuiabá de Julio Campos e cia, mas pela incompetência de nossos políticos. Focados na luta pelo poder, não investiram na boa...
Incógnita, o voo político do dr. Odilon
CESARE BATTISTI O presidente Michel Temer (PMDB) ganhará pontos se extraditar o terrorista italiano que o ex-presidente Lula (PT) afagou com refúgio ...
Discurso de campanha vale mais que o programa
RABUDAS No episódio do ex-senador Delcídio do Amaral ( ex-PT) o Senado não lhe deu qualquer chance e cassou-lhe o mandato por quebra do decoro. Já ne...
Delação Premiada também no MS?
DELAÇÃO Lembra o verbo delatar, que no fundo é o mesmo que caguetar, uma palavra pouco usada por não soar bem aos nossos ouvidos. Também tem tudo a v...



MANOEL EU GOSTARIA QUE VC FALACE POR QUE QUE SO AQUI QUE OS PROFESSORES NAO PODE TER MAIS TEMPO PARA PREPARAR AS AULAS LA NO MATO GROSSO TEM E O ESTADO NAO QUEBROU ; ANTES DE MAIS NADA EU QUERO TE PARABENIZAR PELA COLUNA E DIZER QUE TODA SEXTA A COLUNA AMPLAVISAO E A PRIMEIRA COISA QUE OLHAMOS NO CASSILANDIA JORNAL OU EM QUALQUER JORNAL QUE TEM ESTA COLUNA MUITO OBRIGADO POR SER ESSE BRILANTE JOR
 
Carlos Alberto Cabral da silva em 20/01/2012 02:12:30
Sr. Manoel Afonso, gosto mto de seus artigos e me divirto muitas vezes com seus "comenários" muitas vezes perspicaz. Obrigada. Gostaria de saber se tem alguma noticia sobre a questão dessa monopolização que o governador André Puccinelli, está fazendo com os funcionários públicos, através do B.B. Nós ficamos no meio dessa questão, sem respostas adquadas, a mercê desse tipo de política.Q nos diz?
 
gloria m. silva em 17/01/2012 01:29:20
O eleitor é crítico sim, porém, uma minoria, talvez uns 30 ou 40 por cento. O brasileiro gosta de discutir política apenas por ocasião das eleições; ele não acompanha o trabalho dos parlamentares, muitas veses, siquer sabe o nome dos vereadores, dos deputados estaduais e federais que nos representam, por tal motivo, parlamentares sérios, são injustiçados ao buscar suas reeleições, falta hábito.
 
bene rodrigues da costa em 16/01/2012 10:24:28
Sr.Manoel Afonso,não sei se o Sr. não encontra tempo necessário para escrever mais amiúde a AMPLAVISÃO.Mas,por favor,tente.Esta coluna é muito interessante.Fornece prazer e informação ao ser lida.Continue,sempre.Obrigado.
 
Ronaldo Ancél Alves em 16/01/2012 10:19:53
Esse manoel afonso se supera a cada coluna!!!
 
jose de abreu em 14/01/2012 01:31:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions