A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 26 de Fevereiro de 2017


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


19/06/2015 15:23

Simone – o nome do PMDB na capital?

Manoel Afonso

ATACAR! A guerra eleitoral – felizmente para nós da mídia – já começou com uma antecipação jamais vista. Na capital e nas principais cidades do Estado o assunto supera o desempenho da nossa seleção na Copa América. É o prato do dia e do ano.

PESQUISAS Conversei com o Lauredi Sandim (IPEMS) e ele observou: elas geram expectativas, produzem informações, projetam cenários e possibilidades mas não tem o poder de prever o futuro, ainda que auxiliem a definir seus rumos.

E MAIS... “Parte do eleitorado vota pelas informações do cenário eleitoral e conversas com amigos e parentes. Outra parte vota no candidato mais bem colocado ou contra o postulante mais rejeitado. O candidato sempre vale mais que a ideologia”.

CAPITAL Com base nas pesquisas que Lauredi efetuou para ‘consumo interno’ de partidos e grupos, dos nomes colocados, Marquinhos é o favorito ( 36%) e com menor rejeição. Ainda pelos números, o PT sangra, estagnado na faixa dos 10%.

BASTIDORES Com a saída de Fábio, Marcos e Nelson Trad, o PMDB começará a trabalhar com outros nomes. A cúpula vem agindo com a discrição máxima e na lista dos portadores de musculatura política Simone é aquele de maior destaque.

VEJAMOS:Tem tradição e bom trânsito no PMDB, ex-deputada estadual, tem mais 8 anos no Senado, experiência positiva como administradora de Três Lagoas e ainda foi vice governadora no último mandato de Puccinelli. Um currículo notável.

AS ELEIÇÕES se diferenciam, mas lembro: no pleito ao senado Simone obteve na capital 209.557 votos ( 52,68%), contra 120.474 votos (29,13%) de Bernal, 58.852 votos (14,23%) de Ayache e 22.179 votos (5,36%) de Antonio João.

SIMONE daria tempero novo no quadro. Mulher com vivência na órbita política sem desgastes pelo cargo de vice-governadora e pelo fato de não ter sido vítima da fadiga eleitoral que pode ter contaminado várias lideranças do PMDB.

O EXERCÍCIO da especulação é natural no jornalismo político. Outros nomes de peso podem aparecer em outros partidos inclusive, mas no PMDB Simone daria sequência ao núcleo ‘wilsista’ – sem risco de ficar sem mandato no senado.

ACEITAR ou não o projeto dependeria do desempenho de seu nome nas pesquisas e das garantias oferecidas pelo grupo liderado por André. A tendência é que Simone recuse inicialmente, mas com chances de ceder. Afinal, Simone é política nata.

A JANELA Tirada a tramela pela Câmara Federal, Marcos Trad viabilizará sua candidatura por outro partido. O PSD é o mais provável. Vale lembrar: essa mudança não terá efeito sobre o cálculo do tempo de TV e do Fundo Partidário.

MUDANÇAS de peso. Nesta última quinta feira o ex-prefeito de Corumbá, Ruiter de Oliveira desfilou-se do PT e deve ir para o PSDB. Em Dourados o ex-deputado Marçal Filho, deixa o PMDB rumo ao PSDB, que sai fortalecido do episódio.
RUITER era o 1º suplente do PT na Assembleia Legislativa, tendo obtido 18.502 votos., dos quais 12.995 em Corumbá ( 26,70% dos 48.666 votos válidos). No seu manifesto de despedida disse: “não é bom se sentir um estranho no ninho”.

MARÇAL Em 2014 obteve 14.809 votos (14,33%) em Dourados numa eleição de 103.360 votos válidos. Só perdeu para Geraldo Resende com 28.337 votos (27,42%). É possível que 2016 , num outro cenário, ele tenha a chance da revanche.

EMBLEMÁTICAS as situações idênticas de Ruiter e Marçal levando-se em conta os seus perfis e a importância eleitoral das duas cidades em nosso contexto. É inegável que o desempenho deles no pleito de 2014 não deixa de ser um bom indicativo.

INSISTO: As eleições majoritárias municipais tem ingredientes muito diferentes das proporcionais. O eleitor vê os candidatos com outros olhos, levando em consideração vários aspectos na avaliação deles e mesmo na comparação entre todos eles.

NA TELINHA No último programa nacional do PR, suas lideranças exageram no auto-elogio. A ironia: o senador Blairo Maggi está deixando o PR dizendo que não dá para ficar num partido presidido por um ex-presidiário - Valdemar Costa Neto.

INTOCÁVEL Não será fácil tomar de assalto a fortaleza do PTB no MS. É que o Roberto Jefferson trata Ivan Louzada como irmão. Um dado revela essa fraternidade: dos 90 integrantes do diretório nacional do PTB, 30 são de MS. É mole?

A PROPÓSITO O médico Ricardo Ayache vem se articulando para viabilizar a candidatura a prefeito da capital, sem ficar refém do PT, estigmatizado nas pesquisas. Tenho ouvido muito trololó a respeito, mas até aqui ele não saiu do lugar.

CANDIDATA Nesta altura do campeonato é impossível tirar coelho da cartola. Reinaldo sabe disso. Seria correr riscos sem necessidade. O fato de Rose não aparecer com destaque nas pesquisas não o preocupa. Ela é o nome tucano da vez.

VIGILÂNCIA Para Zé Teixeira e Barbozinha, não só Governo deve ficar de olho nos preços do óleo diesel. O consumidor deverá exigir o repasse nos preços pela redução da alíquota do ICMS. Um teste de 6 meses cumprindo promessa de campanha.

RUY CASTRO : “... no tempo em que o PT vendia adesivos e camisetas, seus líderes vinham da fabrica. Hoje vem das estatais e bancos. A caracu com ovo, tomada com a barriga no balcão, foi substituída pelo Romané-Conti em caves climatizadas...”

Onde fica a esquerda? Vire a direita, dobre a direita e siga a direita até o fim.

As facadas doídas dos cartórios no MS
CARTÓRIOS Herança de Portugal da qual não conseguimos nos livrar. O brasileiro é refém deste sistema que engorda o bolso dos serventuários e o cofre ...
Capital: Câmara sem clima para oposição ao prefeito
‘CRIME E CASTIGO’ O livro do russo Fiódor Dostoiévski é o mais lido na prisão que abriga o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), com benefício a remição ...
Terceira via – força poderosa ou mera coadjuvante?
PAULO SIUFI Articulado, o deputado estadual, do PMDB, dará tempero aos debates. E não perdeu tempo ao abordar com sutileza e precisão o episódio do j...
Decisão do TJ pode inviabilizar cinemas no Estado
‘PATINHAS’ Deputado federal Carlos Marun (PMDB) voltou à mídia ao gastar R$ 1.242,00 da Câmara Federal na sua festejada ida à Curitiba. Ora! Desgaste...



A nossa capital já respira política há algum tempo, a sucessão municipal tem provocado reuniões e mais reuniões, os nomes mais cotados dentro dos partidos políticos já chegaram aos ouvidos do eleitorado, como observador eu diria que nunca um mandato de prefeito passou tão rápido, e também, foi o mais tumultuado. A troca de partidos por parte dos postulantes sinaliza suas ambições pelo cargo. Logo a seguir, vem os dois municípios com maior potencial eleitoral: Dourados e Corumbá, onde duas lideranças deixaram seus partidos, e, aguardam sinal verde para nova filiação com a consequente candidatura. Tudo vai depender das articulações a serem desenvolvidas; Marçal Filho em dourados e Ruiter Cunha em Corumbá, são lideranças de peso e tem tudo para decidir. Benê.
 
benedito rodrigues da costa em 20/06/2015 09:50:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions