ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  20    CAMPO GRANDE 20º

Momento Saúde Bucal

Medo de dentista? Veja como superar a odontofobia

Por Marco Polo Siebra (*) | 12/10/2021 07:58

O medo do dentista, chamado de odontofobia, pode ser um problema mais comum do que parece, além de muito complicado. Muitas pessoas sofrem com essa fobia, e por isso evitam a ida ao dentista a todo custo. Só que isto coloca a própria saúde bucal em risco.

Estudos feitos no mundo inteiro apontam que mais de 60% da população tem medo de dentista. Além disso, muitas pessoas foram dessa porcentagem também sofrem com grande ansiedade odontológica, estresse intenso que antecede a consulta, mesmo que os procedimentos não causem dor alguma. Mas o que é de fato a odontofobia e o que fazer para superar esse medo? Confira as dicas que separamos a seguir.

O que é a odontofobia?

O termo fobia vem do grego “fobos”, que significa medo ou pavor. Na mitologia grega, Fobos era filho de Ares, deus da guerra, e Afrodite, deusa da beleza, e acompanhava o pai nos campos de batalha para causar temor aos inimigos. Mas apesar da crença ter ficado no passado, o termo nos acompanha até hoje, sendo usado como sufixo para indicar medo exagerado de determinada situação, animal, objeto, etc.

O medo está ligado a um instinto de sobrevivência, pois nosso corpo interpreta certas situações como perigosas e provoca algumas reações protetivas.  No caso da odontofobia, o medo pode estar relacionado a experiências passadas ruins com dentistas, como um procedimento doloroso ou situação constrangedora.

As reações de medo podem ser engatilhadas por diversos fatores, como o cheiro dos produtos odontológicos ou o som das ferramentas utilizadas no consultório. Existem também casos de odontofobia que não estão conectados a uma memória real, mas sim a algum relato de terceiros ou imaginário comum. Esse último é bastante comum em crianças.

Como resultado às memórias ruins, sempre que deparada com a hora de ir ao dentista, a pessoa cria uma resistência ao sentimento ruim desencadeado pelo que passou. Outras causas bastante comuns da odontofobia incluem:

Medo da dor: a causa mais comum de odontofobia em adultos de mais de 24 anos, pode ser explicada por experiências passadas no consultório sem os adventos da tecnologia atual, que tem o principal objetivo de proporcionarem procedimentos indolores;

Sentimento de perda do controle: essa causa se assemelha ao medo de viajar de avião, pois o gatilho para as reações de medo está nas situações onde a pessoa não tem controle sobre as coisas que podem machuca-la.

Consequências da odontofobia

A odontofobia se torna um problema sério quando os pacientes passam a apresentar complicações de saúde bucal como doença periodontal ou perda precoce de dentes. Esses casos mais graves pode afetar a vida das pessoas tanto pessoal quanto profissionalmente, gerando uma perda importante no sentimento da autoestima.

Além disso, a expectativa e qualidade de vida de pessoas com esse medo também diminui, uma vez que a saúde bucal precária está relacionada com algumas doenças sérias como as cardíacas e infecções pulmonares.

Os problemas psicológicos e níveis de estresse causados por uma eventual consulta odontológica também podem prejudicar em muito o bem-estar do paciente. Assim, não é incomum que as pessoas com odontofobia realmente não se sintam bem e fiquem doentes de verdade nesses casos. O estresse pode causar problemas como dores de cabeça e rigidez muscular nas costas e pescoço.

Sem contar que a tensão faz com que a nossa tolerância para dor diminua, resultando na necessidade de tratamentos contra a dor mais intenso com anestesia extra e outras medicações. O medo acaba tornando a ida ao dentista muito mais desconfortável do que realmente é.

Superando a odontofobia

Como qualquer outro tipo de fobia, a odontofobia pode ser tratada e superada, sendo que o próprio paciente pode executar exercícios para perder o medo. Separamos algumas dicas para ajudar você a superaro medo e começar a cuidar mais da sua saúde bucal e bem-estar geral, confira:

Entenda qual o gatilho para seu medo

Para lutar com seu medo, é preciso primeiro entende-lo. Portanto, antes de escolher um dentista e marcar uma consulta, se questione: o que causa o meu medo? É uma experiência passada que te causou dor ou constrangimento? Ou ele não vem de uma memória real, mas de algo que você ouviu? Entendendo qual a causa do seu medo você poderá lutar contra ele usando a racionalidade.

Escolha um dentista de confiança

Converse com amigos ou conhecidos que você confie e consiga indicações de profissionais bem qualificados. Afinal de contas, o dentista é grande parte da equação da odontofobia, por isso, escolher um que seja compreensivo ou amigável é a chave para superar o medo. O importante é que o profissional que você escolher o deixe confortável e o faça sentir seguro durante o procedimento.

Faça perguntas ao seu dentista

Esclareça todas as suas dúvidas com o profissional de sua escolha antes, durante ou até mesmo após a consulta. Quanto mais informações você souber a respeito do que estiver sendo feito, mais seguro você se sentirá.

Muito do estresse causado pela odontofobia vem do ato de sofrer por antecedência que, na maioria das vezes, é infundado, pois o procedimento a ser feito é indolor. Com todas as etapas do tratamento esclarecidas, fica mais fácil evitar a ansiedade.

Foque na importância da sua saúde bucal

Grande fator que atua na perda da odontofobia é a determinação, por isso, tenha em mente a importância de ter uma boa saúde bucal. Para casos mais extremos, você pode pensar também nas consequências ruins que não ir ao dentista pode causar. O importante é que você consiga ir até o fim com a consulta.

Faça exercícios de relaxamento

Por fim, para tornar a consulta um fardo menor e algo mais suportável, procure realizar exercícios de relaxamento, como métodos de distração ou respiração. O lado bom é que existem milhares de exercícios que podem ser feitos tanto na sala de espera, quanto durante a consulta.

A partir destas dicas já vai ser mais fácil superar a odontofobia. Não se esqueça de falar com o dentista que você pretende ir e explicar o problema. Assim será mais fácil cuidar de sua saúde bucal sem dor de cabeça.

(*) Marco Polo Siebra é Odontólogo ha mais de 28 anos, Especialista em: Prótese Dentária; Odontogeriatria; Implantodontia. É Master Coach Pela FEBRACIS (Federação brasileira de Coaching Integral Sistêmico), Ministrante dos Cursos: Pode da Ação; Poder e Alta Performance; Jeito de Viver Família; Educar, Amar e Dar limites; Decifre e Influencie Pessoas; Coach de Carreira; Analista de Perfil Comportamental; Processo de Coaching Individual; Processo de Coaching em Grupo; Cursando uma Pós Graduação em “Neurociência e Performance Humana” na Faculdade FEBRACIS. Hoje tem como principal missão impactar e transformar pessoas de forma que concretizem seus objetivos em todas as áreas da vida. É Tesoureiro voluntário da ABRAz/MS (Associação Brasileira de Alzheimer e Demências Similares - Regional MS) e Diretor da Associação Pestalozzi de Campo Grande/MS.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário