ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 23º

Conteúdo Patrocinado

Inédito, Laboratório Célula faz exame que detecta tipo de leucemia em horas

Exame de imunofenotipagem revela o subtipo de leucemia e contribui para um diagnóstico e tratamento mais assertivos

Por Post Patrocinado | 28/02/2020 08:30
Flávia Vecchi, sócia-proprietária do Laboratório Célula e Rodolfo Correia, doutor em Ciências da Saúde, trazem exame inédito para o Estado. (Foto: Paulo Francis)
Flávia Vecchi, sócia-proprietária do Laboratório Célula e Rodolfo Correia, doutor em Ciências da Saúde, trazem exame inédito para o Estado. (Foto: Paulo Francis)

Uma das inovações que o Laboratório Célula traz para Campo Grande neste ano de 2020 é um exame que revela, em poucas horas, o tipo de leucemia detectada no paciente. A citometria de fluxo, ou popularmente conhecida como imunofenotipagem, é uma técnica que possibilita um diagnóstico preciso em menos tempo para quem já corre contra o relógio na luta pela sobrevivência.

Inédito, agora a população e os médicos de Campo Grande e região, terão acesso ao exame, graças ao pioneirismo e inovação do Laboratório Célula na estruturação de um serviço especializado em Citometria de Fluxo juntamente com o Dr. Rodolfo Patussi Correia. Graduado em Farmácia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Rodolfo possui doutorado em Ciências da Saúde pela Faculdade Israelita de Ciências da Saúde Albert Einstein, e trabalhou por 10 anos no Setor de Citometria de Fluxo do Laboratório de Patologia Clínica do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

"A citometria de fluxo é uma técnica indispensável para o auxílio diagnóstico, classificação e monitoramento de leucemias e linfomas. A rapidez e precisão dos resultados são as grandes vantagens, que quando reunidas com outras informações clínicas e laboratoriais, contribuem para um diagnóstico e abordagem terapêutica mais assertivos", pontua o Dr. Rodolfo.

Laboratório já é referência em exames e diagnósticos na Capital e no interior. (Foto: Paulo Francis)
Laboratório já é referência em exames e diagnósticos na Capital e no interior. (Foto: Paulo Francis)

De fato, a contribuição da Citometria de Fluxo no diagnóstico hematopatológico está bem estabelecida e os avanços alcançados nos últimos anos tem impulsionado a expansão dessa técnica para além dos grandes centros de diagnóstico laboratorial. "Assim, esse projeto tem a missão de contribuir para a melhora da qualidade de vida da população através de diagnósticos imunofenotípicos acessíveis e inovadores", ressalta o farmacêutico.

Até então, o sangue ou a medula óssea do paciente era coletado aqui e enviado para laboratórios de apoio nos grandes centros. Além dos desafios do transporte da amostra, o resultado levava até cinco dias para sair, tempo em que o paciente poderia até vir a óbito em casos muito graves. "Com a ingressão desta técnica no Célula, o exame será realizado em Campo Grande com prazo de resultado em até 48h. Em casos de extrema urgência, o resultado poderá ser liberado em até 12h", enfatiza a farmacêutica sócia-proprietária do Laboratório Célula, Dra. Flávia Vecchi.

O benefício do resultado ágil e acurado é tanto para o paciente quanto para os profissionais que estão trabalhando no tratamento. "Alguns médicos com quem já conversei estão agradecendo, porque para eles é muito importante conseguir o diagnóstico e entrar com a medicação alvo", completa a Dra. Flávia.

Já consolidada nas grandes capitais, esta técnica é uma das premissas que o Laboratório Célula traz aos pacientes. "Queremos trabalhar cada vez mais com inovações para oferecer exames personalizados e mais específicos para a população do Mato Grosso do Sul. Nosso diferencial são os exames de diagnósticos avançados e estamos trazendo este exame de uma forma que seja acessível para a população", ressalta a Dra. Flávia.

O exame pode acelerar o tratamento da leucemia ao classificar o subtipo e dar todo o suporte para médico e paciente. "Algumas dúvidas que se tem no exame preliminar, a citometria ajuda a responder. Imagine que o paciente esteja com leucemia aguda, que para classificar e definir um subtipo se abre um leque de possibilidades. A técnica que mais ajuda nessa classificação é a citometria de fluxo. Somada a informações clínicas e outros exames, ela contribui muito para um diagnóstico assertivo", reitera o Dr. Rodolfo.

De uma forma bem simples, a Dra. Flávia e o Dr. Rodolfo explicam que o exame é feito apenas com um pedido médico e a amostra de sangue ou medula para confirmar ou afastar a possibilidade da doença. Isso também se aplica durante o acompanhamento da doença. "Esta técnica também é utilizada para monitoramento de leucemias, com a finalidade de avaliar se o tratamento está sendo eficiente, pois isso tem um impacto importante nas taxa de sobrevida dos pacientes, já comprovada pela literatura", ressalta o Dr. Rodolfo.

O citômetro de fluxo DxFLEX (Beckman Coulter) será o equipamento utilizado no Laboratório Célula e também merece destaque nos quesitos tecnologia e inovação. “É um equipamento moderno que tem capacidade de detectar 10 cores, o que garante maior sensibilidade nos testes imunofenotípicos”, completa o Dr. Rodolfo.

Laboratório Célula é o lugar certo para sua saúde, com a missão de realizar exames laboratoriais com qualidade, pontualidade, responsabilidade e um excelente atendimento. A matriz está localizada na Rua Abrão Júlio Rahe, 87, Centro. Veja como chegar.

Confira outras informações pelo Facebook e Site do Laboratório Célula. O telefone para contato é o (67) 3325-2210.

Nos siga no Google Notícias