A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018


25/06/2018 07:55

Coração da Copa, Praça Vermelha é visita obrigatória em Moscou

No mesmo local ainda tem o Kremlin, que é a Casa Branca deles, a Catedral de São Basílio, inaugurada em 1561, e o Museu de História da Rússia

De Moscou, Paulo Nonato de Souza
A Praça Vermelha, na região central de Moscou, é o ponto de encontro de todas as torcidas nesta Copa do Mundo, e o marco das fotos é sempre a Catetral de São Camilo (Foto: Paulo Nonato de Souza)A Praça Vermelha, na região central de Moscou, é o ponto de encontro de todas as torcidas nesta Copa do Mundo, e o marco das fotos é sempre a Catetral de São Camilo (Foto: Paulo Nonato de Souza)

Tradicional reduto de estrangeiros em visita a Rússia, a Praça Vermelha, na região central de Moscou, tem sido uma espécie de coração da Copa do Mundo de 2018, o ponto de encontro de todas as torcidas, cada uma mais irreverente que a outra na busca por exibir o orgulho de estar presente ao principal evento organizado pela Fifa, independente da capacidade técnica da seleção do seu país.

“Sou do Panamá. Viemos aqui conscientes de que a nossa seleção não iria além da primeira fase. Chegar aqui na Rússia já foi uma glória para o nosso país”, disse Luís Guardia, que veio para a Copa do Mundo acompanhado de duas irmãs.

Pouco antes ele havia assistido pela televisão a goleada de 6 a 1 sofrida pelo Panamá diante da Inglaterra, e na estreia os panamenhos levaram de 3 a 0 da Bélgica.

Os idiomas são diferentes, mas as pessoas se entendem e se divertem na Praça Vermelha (Foto: Paulo Nonato de Souza)Os idiomas são diferentes, mas as pessoas se entendem e se divertem na Praça Vermelha (Foto: Paulo Nonato de Souza)

“Estou feliz com a nossa seleção. Somos pequenos e viemos aqui jogar contra grandes. Em Copa do Mundo o bom mesmo é ser brasileiro, porque aí você tem todos os outro países correndo atrás. O Brasil será sempre o melhor de todos, mesmo que não seja campeão. Futebol é a cultura de vocês”, comentou Luis Guardia.

Logo ao lado, torcedores iranianos, belgas, japoneses, coreanos, russos e ingleses davam a prova do respeito pelo Brasil no futebol ao pedir fotos com torcedores brasileiros. Bastava surgir alguém com a camisa da Seleção para provocar a correria por fotos.

Por ser a seleção mais admirada, a questão é que nem sempre quem exibia no corpo uma camisa da Seleção Brasileira, era brasileiro. “Esta é a minha terceira Copa do Mundo, e descobri um jeito de localizar brasileiro de verdade. Se estiver carregando a bandeira do Brasil, então é brasileiro. Se não, eu pergunto antes”, revelou o inglês Jeremy Castiello.

As muralhas do Kremilin, a residência do presidente Vladimir Putin, é uma espécie de Casa Branca dos russosAs muralhas do Kremilin, a residência do presidente Vladimir Putin, é uma espécie de Casa Branca dos russos

Local dos desfiles militares e eventos importantes da Rússia, a Praça Vermelha é rodeada de monumentos e marcos históricos de Moscou, como o Kremlin, que é a Casa Branca deles, ou seja, onde vive e trabalha o presidente do país, o Museu de História e a Catedral de São Basílio, inaugurada em 1561, são algumas das atrações.

Copa do Mundo é confraternização e a Praça Vermelha simboliza muito isso por tradicionalmente atrair pessoas de todo o planeta. Em um evento como a Copa isso se torna ainda mais forte”, declarou o saudita Mohamed Al-Saud, satisfeito com o fato de a Arábia Saudita ter vindo para a competição. Em dois jogos foram duas derrotas, uma inclusive de goleada por 5 a 0 para a Rússia na partida inaugurar. “Isso é o que menos importa. O Brasil vem para ganhar o título, a gente vem para participar”, frisou.

Ao entrar na Praça Vermelha, depois de passar pela barreira de segurança, o muro avermelhado do Kremlin está logo à frente, tão imponente e belo quanto a própria praça. Mas é a Catedral de São Camilo, uma construção de 1561, que mais chama a atenção de quem quer registrar com foto a presença no local.

“O nome da praça não tem a ver com a cor do muro nem com o vermelho do comunismo, é apenas coincidência. Quando foi inaugurada tinha o nome de Pozhar (fogo na tradução para o português), depois passou a ser chamada de Praça Vermelha, mas no sentido de lugar bonito”, disse o guia um grupo de turistas da Espanha.

Também aproveitei para registrar o momento na Praça Vermelha com a Catedral de São Camilo ao fundoTambém aproveitei para registrar o momento na Praça Vermelha com a Catedral de São Camilo ao fundo

A Fifa estima que mais de 1 milhão de turistas estrangeiros estejam na Rússia acompanhando a Copa do Mundo. Na edição de 2018, 2,4 milhões de ingressos foram reservados para torcedores de todo o mundo desde o início das vendas, em setembro de 2017.

Os russos foram os que mais compraram bilhetes (871.797), seguidos por fãs dos EUA (88.825), Brasil (72.512), Colômbia (65.234), Alemanha (62.541), México (60.302), Argentina (54.031), Peru (43.583), China (40.251), Austrália (36.359) e Inglaterra (32.362). Desse total, a demanda internacional representa 54%.

POR DENTRO DA COPA – Com o enviado especial Paulo Nonato de Souza, o Campo Grande News estará nos passos da Seleção Brasileira e de todos os acontecimentos que vão envolver o Mundial da Rússia. Veja esta e outras notícias no Canal Copa 2018.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.