ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 30º

Direto das Ruas

Grupo de 50 cabos eleitorais diz que levou calote de candidato esfaqueado

Nas redes sociais, vários trabalhadores também usaram o Facebook e o Instagram para se manifestarem

Karine Alencar | 26/09/2022 16:46
Um dos grupos de cabos eleitorais que trabalham na Campanha de Saulo: (Foto: Divulgação)
Um dos grupos de cabos eleitorais que trabalham na Campanha de Saulo: (Foto: Divulgação)

Grupo de 50 cabos eleitorais que trabalhou na campanha do candidato a deputado federal Saulo Batista (Republicanos), esfaqueado pela amante nesta segunda-feira (26), procurou o Campo Grande News, para denunciar calote em dinheiro que deveria ter sido pago no último dia (15).

Alana Pereira de 34 anos, assistente administrativo que aceitou fazer parte da ação com a equipe de Saulo, conta que ao receber a proposta, foi estabelecido o quantitativo de R$ 100 até o dia (15) e mais R$ 100 no dia (30) deste mês, só que até agora, nem a primeira parcela caiu na conta.

Segundo Alana, mesmo sem pagar os participantes do grupo, a equipe do candidato oferecia mais R$ 100 para quem indicasse outras 20 pessoas que pudessem realizar o trabalho. Indignados, os colegas saíram do grupo e desistiram do trabalho.

Agora, a expectativa é de que o dinheiro seja pago até o fim das eleições. "Foram 50 pessoas só no nosso grupo, que trabalharam desde o começo do mês e não receberam, fora outros quatro grupos, também com 50 pessoas, que estão nessa situação. É um dinheiro extra que, com certeza faz falta", lamenta.

Assim como ela, Bruna Gomes, de 28 anos, também conta a dificuldade que passou para conseguir os R$ 100, literalmente suado. "Fiz de tudo para receber, liguei, mandei mensagem, era todo dia isso. Eles falavam que pela lei, por mais que tinha vencido o prazo, ainda tinham 48 horas para cumprir o combinado", relembra.

'Sortuda', Bruna ainda conta que foi uma das poucas que conseguiu pegar o dinheiro e que só não desistiu da campanha, porque levou pessoas para trabalharem com ela. "Do grupo com 50 pessoas, só 15 receberam, o resto tudo saiu e eu só to aqui pelos amigos que indiquei, vou lutar com eles", defende.

Nas redes sociais, vários cabos eleitorais usaram o Facebook e o Instagram para se manifestarem a respeito da falta de pagamento. Uma das contratas, Debora Lima, diz "no grupo que eu estava ganhei apenas R$ 100 e trabalhei por dois. A gente dá o nosso melhor para não ganhar ou ganhar uma mixaria".

Enquanto isso, outra dispara "amiga, e eu que não ganhei nem os R$ 100, to esperando até hoje aqui". Outra funcionária solta que "chega a ser humilhante" a situação da equipe. "Já faz 1 semana que estão devendo e até agora nada".

"Esse candidato aí que deu o golpe em quase 100 pessoas e não pagou como cabo eleitoral", garante outra ex-funcionária que pediu para não ter o nome divulgado.

Esfaqueado pela amante- Na manhã desta segunda-feira (26), Saulo teria sido pego em um momento de traição. A autora do crime foi identificada como Daisa Garcia, que também seria amante do homem, e o flagrou com outra mulher. O caso aconteceu em prédio residencial de luxo na Travessa Ana Vani, entre a Afonso Pena e a 15 de Novembro, em Campo Grande.

Saulo Batista é candidato a deputado federal pelo Republicanos. (Foto: Reprodução | Facebook)
Saulo Batista é candidato a deputado federal pelo Republicanos. (Foto: Reprodução | Facebook)

Direto das Ruas - As queixas chegaram pelo canal Direto das Ruas, o canal de interação dos leitores com o Campo Grande News. Quem tiver flagrantes, sugestões, notícias, áudios, fotos e vídeos pode colaborar no WhatsApp pelo número (67) 99669-9563.

Clique aqui e envie agora uma sugestão.

Para que sua imagem tenha mais qualidade, orientamos que fotos e vídeos sejam feitos com o celular na posição horizontal.

Nos siga no Google Notícias