ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 19º

Direto das Ruas

Grupo "organizado" agride mulher na Capital após erro no pagamento de corrida

Segundo boletim de ocorrência, houve mal-entendido em pagamento de viagem e seis motoristas agrediram vítima

Guilherme Correia | 16/09/2022 19:59
Vítima teve ferimentos em diversas partes do corpo após agressão. (Foto: Direto das Ruas)
Vítima teve ferimentos em diversas partes do corpo após agressão. (Foto: Direto das Ruas)

Uma mulher, de 24 anos, relata ter sofrido agressão de seis pessoas em frente à própria casa, no Bairro Monte Castelo, após um mal-entendido no pagamento de uma corrida por aplicativo. Segundo relato encaminhado por meio do canal Direto das Ruas, grupo atua de forma organizada, agredindo clientes quando acham necessário.

Conforme a cliente, eles têm grupos nas redes sociais e se identificam com adesivo de caveira nos veículos do aplicativo inDriver, como forma de garantir "interação e segurança" para os trabalhadores. O caso é investigado na 2ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande.

De acordo com boletim de ocorrência registrado nesta quinta-feira (15), ela agendou pagamento de R$ 32, via Pix, e mostrou o comprovante à motorista que a levou até a residência. No entanto, a profissional retornou ao domicílio acompanhada de outras cinco pessoas, exigindo o dinheiro.

Um amigo tentou intervir e efetuar outro pagamento, mas os suspeitos tomaram o celular da mão do rapaz. “Fiz errado, fiz um agendamento de Pix, então não chegou no celular da motorista, só que consegui mostrar o comprovante para ela, antes do celular descarregar. Ela me deixou na frente de casa, porque já tinha mostrado o comprovante para ela, então estava tudo certo.”

De repente, alguém começa a bater agressivamente no meu portão, chamando meu nome e me chamando de ‘caloteira'. Na hora que saí, vieram uns cinco carros de aplicativo, me deram um mata-leão na frente da minha casa, não deixaram eu entrar em casa para ver se o pagamento foi efetuado ou não. Me agrediram, imobilizaram, me ofenderam e me humilharam na frente da minha casa”, relatou ao Campo Grande News.

A Polícia Militar foi acionada, mas segundo ela, alegou que não poderia resolver a situação e fizeram os suspeitos soltarem a jovem, já que eram quatro homens e duas mulheres, disse a moça, contra apenas uma pessoa, indefesa. “Eles baixaram na minha casa para me bater. Não baixaram na minha casa para cobrar os R$ 32 que não chegou no celular da motorista. E não chegou porque foi agendado."

Ela relata que não conseguiu registrar o boletim na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), sob alegação de que só poderiam atender o caso se fosse configurado enquanto violência doméstica. Por isso, ainda teve de esperar mais dias até conseguir relatar o caso à polícia.

Direto das Ruas - O vídeo chegou pelo Direto das Ruas, o canal de interação dos leitores com o Campo Grande News. Quem tiver flagrantes, sugestões, notícias, áudios, fotos e vídeos pode colaborar no WhatsApp pelo número (67) 99669-9563.

Clique aqui e envie agora uma sugestão.

Para que sua imagem tenha mais qualidade, orientamos que fotos e vídeos sejam feitos com o celular na posição horizontal.

Nos siga no Google Notícias