ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 20º

Direto das Ruas

Medidas de segurança foram tomadas durante ritual religioso, garante dirigente

Evento realizado em plena pandemia em terreiro gerou protestos de ingrantes de religiões de matriz africana da Capital

Por Anahi Zurutuza | 30/06/2020 15:15
Integrantes de casa de candomblém foram filmada durante ritual religioso (Foto: Direto das Ruas)
Integrantes de casa de candomblém foram filmada durante ritual religioso (Foto: Direto das Ruas)

Evento religioso realizado no domingo (28) causou polêmica dentre integrantes de religiões de matriz africana, mas de acordo com o dirigente da casa de candomblé localizada no Bairro Coronel Antonino, Bàbá Deá Odé, não se tratava de festa e todas as medidas de segurança foram tomadas para reunir os frequentadores do terreiro.

A direção da casa enviou nota ao Campo Grande News lembrando que as celebrações de cultos religiosos estão autorizadas pela Prefeitura de Campo Grande. Informou ainda eu “todas as medidas de segurança, tais como uso de máscaras, disponibilização de álcool em gel, distanciamento de 2 metros entre os membros, estavam sendo seguidas” no domingo.

O dirigente ressaltou que “o ritual era interno”, destinado aos membros do terreiro, “não havendo nenhum convidado, razão pela qual o mesmo não deve ser considerado festa”. Esclareceu ainda que o único momento em que as pessoas que estavam no local deixaram de usar máscaras foi quando “estavam manifestando seus Orixás”.

Bàbá Deá Odé protestou contra a divulgação de imagens da ocasião. “Orixás são divindades, razão pela qual jamais poderiam ter sua imagem veiculada em jornais de grande circulação, sequer em redes sociais, o que nunca foi autorizado pela direção desta casa religiosa".

Vídeo gravado por uma das pessoas que estava no local foi enviado ao canal Direto das Ruas por outros integrantes de religiões de matriz africana que se revoltaram com a realização do evento, uma vez que, segundo eles, a maior parte das casa em Campo Grande paralisou os trabalhos coletivos desde o início da pandemia.

“A preocupação geral dos religiosos foi com a descaso com a vida das pessoas. Nenhum tipo de medida de higiene foi tomada. Ninguém de máscara, não tinha distanciamento. Essa foi a indignação dos religiosos de terreiro, que desde o início da pandemia suspenderam seus atendimentos e trabalhos aberto ao público”, afirmou um representante de terreiro que pediu para ter a identidade preservada. A fala dele foi veiculada em matéria publicada nessa segunda-feira (29).

As imagens que ilustraram a matéria foram borradas. Mesmo assim, segundo o dirigentes, algumas pessoas foram reconhecidas e sofreram retaliações. Ele alega que o terreiro está sendo vítima de "preconceito religioso".

Direto das ruas - A sugestão chegou ao Campo Grande News por meio do canal Direto das Ruas, meio de interação do leitor com a redação. Quem tiver flagrantes, sugestões, notícias, áudios, fotos e vídeos pode colaborar no WhatsApp pelo número (67) 99669-9563. Clique aqui e envie agora uma sugestão.

Para que sua imagem tenha mais qualidade, orientamos que fotos e vídeos devem ser feitos com o celular na posição horizontal.