ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUINTA  09    CAMPO GRANDE 28º

Direto das ruas

Pacientes denunciam falta de material para exame de identificação do coronavírus

Em nota a Sesau negou a situação. “A equipe da Unidade de Resposta Rápida (URR) foi reforçada e não há falta de materiais”.

Por Geisy Garnes e Aletheya Alves | 16/03/2020 15:52
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Pacientes que procuraram os hospitais de Campo Grande nos últimos dias denunciam a falta de material para o exame de identificação do novo coronavírus. Pelo menos três pessoas relataram ao Campo Grande News a mesma dificuldade na rede pública e nas unidades da Unimed e da Cassems.

Uma funcionária pública, que preferiu não se identificar, relatou que acompanhou uma colega de trabalho até o hospital El Kadri. Ela apresentava febre, coriza, fraqueza e falta de ar, por isso foi orientada a ficar de quarentena em casa. Na unidade, explicaram ainda que os exames de identificação do vírus devem ser feitos pela rede municipal de saúde.

“Falaram que iam até a casa dela fazer o exame. Mas ela está desde sábado aguardando e nada”, conta. No Hospital da Cassems, a mesma reclamação. A professora de uma escola estadual de Campo Grande, que também preferiu não se identificar, deu entrada na unidade nesta segunda-feira (16) com os mesmos sintomas.

Ela foi isolada em uma das salas do hospital, mas ouviu das equipes que não há material para realização do teste na Capital. “E o que informaram é que não tem kit de teste na cidade. Passei pelo médico, fiz raio-x e depois vou para casa, mas já me deu atestado de 15 dias”, relatou ela para a reportagem.

No Hospital da Unimed são duas as reclamações dos pacientes: a demora no atendimento e a falta dos exames. O posicionamento da unidade seria que apenas pessoas com histórico de viagem para fora do país passaria por exame.

A reportagem entrou em contato com os hospitais e também com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública). Em nota, a secretaria municipal negou a falta de material para a realização dos exames. “A equipe da Unidade de Resposta Rápida (URR) foi reforçada para que todas as demandas sejam atendidas no menor tempo possível, e não há falta de materiais”.

Ainda conforme informações repassadas pela Sesau, os exames são feitos apenas nos pacientes que enquadrem nos critérios ditados pelo Ministério da Saúde. “Como ter voltado de viagem ao exterior há menos de 14 dias, ter tido contado com um paciente positivo, apresentar falta de ar, dificuldade para respirar e febre alta”.

A Unimed informou apenas que tem como política “atender todas as normas e determinações do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Saúde Suplementar com o objetivo de oferecer assistência à saúde de alta qualidade e com total segurança aos seus beneficiários”. A Cassems ainda não responderam a solicitação.

Os exames – Desde sábado, o Laboratório Central de Saúde Pública do Estado (Lacen) está realizando localmente os exames de identificação do novo coronavírus. A secretária adjunta de saúde, Christine Maymone, informou que até a sexta-feira, amostras estavam sendo coletadas e encaminhadas para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, mas agora são analisadas em Campo Grande.

Os resultados demoram de 24 a 48 horas para ficarem prontos. A adjunta comentou ainda que quem estiver contaminado, deve ficar em casa em isolamento na casa. "A intenção é que compartilhe não se objetos de entre as pessoas da casa e deve-se manter o infectado numa distância de de 1,5 a 2 metros dos demais familiares e a higiene deve ser reforçada".

Direto das Ruas – A sugestão chegou ao Campo Grande News por meio do Direto das Ruas, canal de interação do leitor com a redação.

Quem tiver flagrantes, sugestões, notícias, áudios, fotos e vídeos pode colaborar no WhatsApp pelo número (67) 99669-9563, pela ferramenta Fale Conosco ou por mensagem enviada via Facebook. Para que sua imagem tenha mais qualidade, orientamos que fotos e vídeos devem ser feitos com o celular na posição horizontal.