A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

04/08/2009 16:03

Angélica: vagas em usina equivalem a moradores sem renda

Redação

A realidade econômica de Mato Grosso do Sul, há décadas baseada no binômio boi e soja, começa a ser alterada com a produção do etanol. Somente em Angélica, município localizado a 260 quilômetros da Capital, uma única usina de açúcar e álcool gerou 2.169 empregos diretos, número equivalente a 36% da população com mais de 10 anos de idade e igual ao total dos trabalhadores sem renda.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o município, onde 42% da população é considerada pobre, tinha 2.215 pessoas com mais de 10 anos de idade sem nenhum rendimento. Apenas uma indústria conseguiu suprir esta demanda.

O número de trabalhadores com renda teve aumento de 57%, de 3,7 mil para 5,9 mil com a implantação de uma usina de açúcar e álcool. Segundo a Seprotur (Secretaria Estadual de Produção e Turismo), o impacto foi tão grande, que houve reversão no êxodo de moradores. Além dos empregos diretos, a indústria gerou outras vagas indiretas no transporte, alimentação e construção civil.

Estado

Idec alerta para tentativa de fraudes após acordo sobre planos econômicos
Pouco mais de 48 horas depois de oficializada a assinatura do acordo entre a Advocacia-Geral da União (AGU), representantes de bancos e associações d...
Dólar fecha no maior valor em 5 meses após adiamento da reforma da Previdência
Em um dia de tensões no mercado de câmbio, o dólar fechou no maior valor em quase seis meses. O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (14) vendi...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions