ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 23º

Economia

Caixa no Centro de Capital tem espera de mais de 1h30 na fila

Fila na agência da 13 com Marechal Rondon dobrava a esquina nesta terça-feira

Por Marta Ferreira e Aletheya Alves | 28/07/2020 13:10
Fugindo do sol, pessoas formam fila com distanciamento para entrar na Caixa. (Foto: Aletheya Alves)
Fugindo do sol, pessoas formam fila com distanciamento para entrar na Caixa. (Foto: Aletheya Alves)

Com muita coisa acontecendo ao mesmo tempo e ainda duas agências fechadas em Campo Grande, quem procurou a agência da Caixa no cruzamento da Rua 13 de Maio com a Marechal Cândido Mariano Rondon, bem no Centro, precisou de paciência nesta terça-feira (28). A fila, com o distanciamento obrigatório entre as pessoas, estava dobrando a esquina e andando bem lentamente.

A fila começava na Caixa, na 13, virava à esquina e ia até perto da esquina da 14 de Julho, com as pessoas se protegendo do sol como conseguiram. Dentro da unidade, mais gente aglomerada, na área dos caixas eletrônicos, à espera da entrada na área de atendimento presencial.

O Campo Grande News encontrou, por volta das 12h30, quem estava aguardando atendimento desde as 11h, horário de abertura do banco, e ainda estava a 7 pessoas da entrada.

Era a situação do motorista de aplicativo, Luciano Vilas Boas, 39 anos, chegou ao lugar perto da hora da abertura e ainda não havia saído às 12h30. Foi fazer uma operação simples na conta e, enquanto ficava na fila, perdia tempo do almoço e, consequentemente, do retorno ao trabalho.

Desempregado, Edinaldo  Gil de Oliveira, 41 anos, foi tentar sacar a terceira parcela do auxílio emergencial de 600 reais. “Não tem que o fazer, é esperar”, resignou-se. No caso dele, a ida ao banco pode ocorrer em duas etapas.

Ele está sem celular, que disse ter vendido para quitar contas, e por isso precisa ir à Caixa ver se a parcela está disponível e, só depois de confirmado, fazer o saque.

Era a situação do motorista de aplicativo, Luciano Vilas Boas, 39 anos, chegou ao lugar perto da hora da abertura e ainda não havia saído às 12h30. Foi fazer uma operação simples na conta e, enquanto ficava na fila, perdia tempo do almoço e, consequentemente, do retorno ao trabalho.

Desempregado, Edinaldo Gil de Oliveira, 41 anos, foi tentar sacar a terceira parcela do auxílio emergencial de 600 reais. “Não tem que o fazer, é esperar”, resignou-se. No caso dele, a ida ao banco pode ocorrer em duas etapas.

Ele está sem celular, que disse ter vendido para quitar contas, e por isso precisa ir à Caixa ver se a parcela está disponível e, só depois de confirmado, fazer o saque.

Informação obtida é que há duas unidades da Caixa na cidade, que não foram informadas, que estão sem atendimento ao público porque funcionários testaram positivo para a covid-19.

Ninguém dá entrevista entre os funcionários,  mas ao buscar explicações,  a equipe de reportagem soube que a fila é reflexo da quantidade de serviços prestados ao mesmo tempo pelo banco: liberação de auxílio emergencial, pagamento extra de FGTS, pagamento de abono ao trabalhador, além das transações normais.

Ao Campo Grande News, a assessoria da Caixa Econômica Federal informou que todas as agências estão atendendo regularmente, não existindo casos de suspensão devido o novo coronavírus. Sobre a demora em filas na manhã de hoje, o banco disse que foi uma situação excepcional.

(*) Matéria atualizada às 15h22min para acréscimo de informações.