ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 24º

Economia

Com queda nas temperaturas, pais aquecem a economia para agasalhar as crianças

Lojistas do setor de vestuário e até ambulantes comemoraram a chegada do frio na Capital

Por Jhefferson Gamarra e Cleber Gellio | 18/05/2022 15:02
Mãe encheu a sacola com roupas para encarar o frio. (Foto: Cleber Gellio)
Mãe encheu a sacola com roupas para encarar o frio. (Foto: Cleber Gellio)

A queda da temperatura nos últimos dias em Campo Grande aqueceu a venda de produtos típicos do inverno e ajudou a aumentar o movimento no comércio do Centro da cidade. Segundo os comerciantes de lojas de roupas e até ambulantes, o frio mais intenso este ano está ajudando na redução dos estoques principalmente do setor infantil.

"O foco é roupa infantil, porque as aulas voltaram e os pais procuram mais para os filhos irem para escola", comenta Pedro Araújo, 47 anos, gerente de uma loja de roupas na Rua Dom Aquino, que vende peças de R$ 15,99 até R$ 69,90. De acordo com ele, apenas nesta semana, houve um aumento de 40% desde Dia das Mães.

Autônomo escolhando peças de roupas para agasalhar a criançada (Foto: Cleber Gellio)
Autônomo escolhando peças de roupas para agasalhar a criançada (Foto: Cleber Gellio)

Confirmando a observação apontada pelo comerciante, o autônomo João Ivo de Marães, 54 anos, acordou cedo para comprar roupas para as filhas Isadora, Joana e Helena, de 8, 6 e 2 anos, respectivamente. No total, ele gastou 300 reais com vestimentas para o frio.

A comerciante Margarida Alves Sandim, 40 anos, foi ao Centro para comprar casacos para a filha Gabrielle, de 10 anos, mas aproveitou para comprar uma peça para ela mesma. "Comprei casacos para ela e pra mim. Para encarar esse frio, tem que ser mais pesado. Como temos um compromisso hoje à noite em local aberto, tive que comprar. Em casa, a gente fica nas cobertas", brincou a cliente que gastou R$ 450 reais em roupas.

Vendedor ambulante comemorou a chegada da frente fria para aquecer as vendas (Foto: Cleber Gellio)
Vendedor ambulante comemorou a chegada da frente fria para aquecer as vendas (Foto: Cleber Gellio)

Na manhã de hoje, após a madrugada mais fria do ano, várias lojas aproveitaram o frio para fazer promoções de produtos de inverno, como roupas, calçados e cobertores. Quem também encarou o frio para fazer uma renda extra foi o vendedor Cícero Firmino, 58 anos. “Quanto mais gela, mais a gente vende. A melhor época para ganhar é a do frio. Teve pelo menos uns 60% de aumento nas vendas de meia”, comemora o ambulante que vende 3 pares por R$ 10.

Vem mais frio por aí - Hoje, a cidade amanheceu ainda mais gelada, o que garantiu o primeiro lugar entre as capitais, com termômetros marcando 4,8°C e a sensação e dois graus às 6h. Enquanto Curitiba, conhecida por ser a capital mais fria do Brasil, ficou nos 6°C.

Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), a frente fria fica em Campo Grande até sexta-feira (20), mas vai perdendo força até que as temperaturas mínimas voltem para a casa dos 10°C, apesar disso, a máxima não deve ultrapassar os 25°C até domingo (22).

Movimento de pessoas agasalhadas na região central de Campo Grande. (Foto: Marcos Maluf)
Movimento de pessoas agasalhadas na região central de Campo Grande. (Foto: Marcos Maluf)


Nos siga no Google Notícias