A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017

24/08/2014 10:58

Corte de cabelo tem alta de 16% e clientela busca alternativas

Caroline Maldonado
Maria acredita que beleza não pode ser prioridade (Foto: Marcelo Calazans)Maria acredita que beleza não pode ser prioridade (Foto: Marcelo Calazans)

Cortar os cabelos nos salões de beleza de Campo Grande ficou até 16% mais caro para homens e mulheres e 14% para as crianças, desde abril. Conforme pesquisa realizada Nepes (Núcleo de Pesquisas Econômicas) da Universidade Anhanguera-Uniderp, quem pagava R$ 30, agora paga R$ 35 e quem já desembolsava R$ 70, chega a gastar até R$ 80 somente com o corte. Com isso, os campo-grandenses procuram alternativas para manter o visual sem gastar muito.

A vendedora Talita Takari de Campos, 17 anos, que até o mês de maio pagava R$ 130 para fazer uma escova progressiva, agora já paga R$ 180. Ela reclama do preço, mas não deixa de frequentar o salão porque, segundo ela, a própria profissão exige o cuidado com a aparência.

“Querem que a gente esteja perfeita, a beleza conta muito para trabalhar no comércio. Já eu acho que o que faz diferença mesmo é o atendimento. Muitos clientes reclamam que não foram bem atendidos em outra loja desistiram de comprar, então do que adianta a vendedora estar linda se não atende bem?”, questiona a vendedora.

A aposentada Maria Aparecida Elias, 62 anos, concorda e acrescenta que a beleza não pode ser o mais importante na hora de calcular os gastos pessoais. “Percebi que subiram os preços, mas eu tenho outras prioridades. Prefiro gastar mais com uma boa alimentação, com a saúde do que gastar demais com beleza”, afirma.

Segundo a vendedora, profissão exige o cuidado com a aparência (Foto: Marcelo Calazans)Segundo a vendedora, profissão exige o cuidado com a aparência (Foto: Marcelo Calazans)

Para não deixar os cuidados de lado, Maria dá a dica: “o jeito é aproveitar os dias de promoção”. “Eu pago R$ 30 no corte, que já subiu, mas as unhas pago R$ 25 nos dias de promoção do salão”, diz a apodentada, que faz a própria pintura do cabelo para não ter ainda outro gasto com o que não considera essencial.

Mas nem todo mundo pensa da mesma forma. Para a promotora de vendas Rahiane Mary de Souza, 24 anos, estar bem arrumada é essencial, tanto para as relações pessoais, quanto para o dia a dia no trabalho. “Acho que se você trabalha bonita, com cabelo arrumado e unha feita o seu astral vai lá em cima. A pessoa se sente mais segura com o cabelo bonito”. Em contrapartida, Talita economiza nas unhas, pagando por mês a uma vizinha manicure. “Eu pago um pacote de R$ 85 por mês. No salão de beleza eu pagaria quase R$ 100”.

Preço bom ou alto, o que todos os entrevistados pelo Campo Grande News concordam é que não tem como deixar os cuidados com a beleza de lado e ter, pelo menos, um profissional de confiança é indispensável. “Eu corto meu cableo, porque tenho medo de algum cabeleireiro estragar. Mas o alisamento eu faço com uma pessoa que gosto muito”, conta a estudante Nathália Martins, 18 anos, que gasta em média R$ 120 somente para fazer luzes e escova progressiva a cada seis meses.

Agências do BB abrirão uma hora mais cedo para saques do Pasep
As pessoas com mais de 70 anos beneficiadas com o saque das cotas do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) poderão ir mais c...
Águas Guariroba consta pela 2ª vez entre 150 melhores para se trabalhar no País
Pela segunda vez, a concessionária Águas Guariroba, responsável pelo saneamento básico em Campo Grande, está relacionada entre as 150 melhores  empre...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions