A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

13/11/2012 18:14

De olho em R$ 50 mi, Acrissul cede área a supermercado e gera protestos

Nícholas Vasconcelos
Atacadista vai construir prédio de 30 mil metros quadrados dentro do Parque. (Foto: Arquivo)Atacadista vai construir prédio de 30 mil metros quadrados dentro do Parque. (Foto: Arquivo)

A Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) analisa nesta quarta-feira (14), em assembleia com os associados, a proposta de cedência de uma área de 30 mil quadrados no Parque de Exposições Laucídio Coelho para a construção de um atacado Assaí, do grupo Pão de Açúcar. O anúncio da construção do atacadista sem consulta ou licitação provocou protesto da entidade que representa o setor em Mato Grosso do Sul e também descontentou associados, que reclamam de não terem sido consultados.  O negócio é estimado em R$ 50 milhões.

“Nosso setor de atacado é regional e teríamos associados interessados em participar”, afirmou Enio Roberto Bornholdt, presidente da Asmad (Associação Sul-Mato-Grossense de Atacadistas e Distribuidores). O setor atacadista reúne 67 empresas locais e gera 3,5 mil empregos diretos em Mato Grosso do Sul.

A entidade pretende apresentar uma carta de protesto onde contra a decisão da Acrissul em fechar contrato com o atacadista sem procurar sócios no mercado local. “Nós queremos pelo menos ter a oportunidade de mostrar interesse.”, destacou Bornholdt.

O Grupo Pão de Açúcar é administrado pelo multinacional francesa Casino. “O setor ficou excluído de uma consulta, de uma possível concorrência”, detalhou o presidente da Asmad. O grupo Pão de Açúcar está em vias de instalar outras unidades em Campo Grande, como no bairro São Francisco, no Carandá, na região da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e na avenida Bandeirantes.

Novo destino - Conforme o presidente da Acrissul, Francisco Maia, o parque tem uma área de 180 mil metros quadrados e parte dele está em desuso desde a proibição dos shows no Parque de Exposições no ano passado e a entidade está sem renda e com uma dívida de R$ 3,5 milhões

“Não estamos vendendo a área, mas cedendo a área para aluguel”, detalhou Maia. A construção do atacado será próxima a área das baias do parque sobre regime de aluguel e após 20 anos ela será devolvida para a Acrissul. Maia afirmou não poder entrar em detalhes por sigilo contratual, mas estimou que a entidade deva receber R$ 50 milhões durante todo contrato. 

“Somos uma entidade particular, recebemos a proposta e vamos submeter aos donos do parque, os associados”, declarou. Ele afirmou que a Acrissul não recebe repasses do poder público e por isso fica dispensada de licitações. Segundo Maia, a construção foi submetida ao CMDU (Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano), prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) e para Câmara de Vereadores há 15 dias.

O Campo Grande News apurou que ex-presidentes da entidade, que formam um conselho, ficaram descontentes com o fato de não terem sido consultados a respeito da proposta. Por telefone, o ex-presidente Laucídio Coelho, disse que não estava a par do negócio e por isso não quis comentar. 

Em resposta, o atual presidente afirmou que projeto não foi submetido ao conselho de ex-presidentes da Acrissul, conforme prevê o estatuto, mas que a assembleia é soberana dentro da instituição. "Nós queremos desenvolver aquela área da cidade, construindo um shopping agropecuário ali", encerrou.



Calma pessoal, o Bernal tá aí...deixa com ele....kkkkkkkk....não viram a questão do IPTU???
 
Paulo Bonsini em 14/11/2012 10:25:30
Parabéns Maia pela acertada decisão.
 
sebastiao dos reis em 14/11/2012 09:08:29
Parabéns a acrissul,se não pode ter show tem que se pensar em outras formas de se aproveitar todo esse espaço.muito bom.
 
reginaldo pereira da silva em 14/11/2012 08:23:34
Já que agora não faz mais shows, festas no Parque de exposição porque não ceder este espaço para este Grupo Atacadista? Concordo com essa negociação, assim haverá novas oportunidades de empregos para os campograndenses, um novo concorrente para outros supermercados e também valorização a região e os bairros vizinhos do Parque de exposição, pois acho aquela área muito morta, sem fluxo de pessoas, e em breve também vai inaugurar uns apartamentos também naquela região.
Espero que dê tudo certo!
 
Cristiane Lima em 14/11/2012 07:25:49
Eu dou o maior apoio.. é um espaço praticamente inutil no centro da cidade.. agora nem shows podem ser feitos mais no local.. que venha o progresso...
 
Ana Miranda em 14/11/2012 06:12:02
AS empresa locais querem mesmo "participar da briga" ou é apenas medo da concorrência?
 
Luis Fernando F Silva em 14/11/2012 00:52:22
VERGONHA. A área da ACRISSUL foi doada por um fazendeiro com a finalidade de realizar a EXPOGRANDE. O Maia vai colocar o supermercado para faturar e encobrir sua incompetência em gerar receitas com a atividade agropecuária. Tá na hora dos herdeiros do doador reivindicar o retorno da área para a família, pois existe cláusula de reversão na doação.
 
fatima costa em 14/11/2012 00:06:09
pode vender ou alugar todo o espaço, poi se depender d nossas autoriddes neste parque nunca mais terá exposiçao mesmo, ou talvez com o novo prefeito talves isso mude, ou nao
 
edmilson barbosa em 13/11/2012 23:00:17
O parque Laucidio Coelho não deveria acabar e si ser restruturado, isto para ser parque de esposição agropecuaria e industrial, Mais infelizmente nas maõs do Francisco Maia com certeza virara supermercado vavorecendo as grandes potencias.
 
Lenine Ferreira em 13/11/2012 22:55:45
Louvável a atidude da ACRISSUL para o desenvolvimento da cidade. Alavancando o mercado de trabalho, onde antes contribuía com diversão que fazia parte da história local, onde no local famílias tinham o prazer de se encontrarem pra diverti num ambiente saudável e protegido com infra estrutura, o que não acontece na praça do papa. Hoje passei ao lado e ví que está em plena construção um residencial ao lado, só espero e torço que o supermercado seja implantado de frente ao residencial assim facilitaria e muito as vendas dos aps ... Parabéns associação agora.....quero ouvi dizer que a construtora do residencial ao lado irá ficar contente com este atacado, isso facilita a vida do condôminos...
 
jose maria martins de brito em 13/11/2012 22:48:14
Aos idiotas que criticaram as autoridades que querem disciplinar o uso do espaço meus parabens. Esse é o respeito que a ACRISSUL tem com os amantes da cultura de mato grosso do sul... Vão fazer festa na casa da mamae
 
eduardo souza em 13/11/2012 21:18:09
Eu já havia falado, já tinha vendido esta área, por isto o interesse em não adaptar a área e da construção das torres em frente. O poder econômico é quem manda chefe,
 
Andrey Fontenello em 13/11/2012 21:14:26
TEM MUITA GENTE DE OLHO NAQUELA ÀREA. SE A ACRISUL SOUBER MANEJAR AS PEÇAS, VAI TER CONDIÇÕES DE VENDER E COMPRAR OUTRA ÀREA, E FAZER UM PARQUE BEM MELHOR AINDA SOBRANDO MUITA GRANA. APARECEU O GRUPO PÃO DE AÇUCAR, MAS CONSTRUTORAS, INCORPORADORAS E PESOS PESADOS COM CONDIÇÕES DE INVESTIR, ESTÃO INTERESSADOS NO LOCAL.
 
Valter Oliveira em 13/11/2012 21:09:45
Duvido sem algum grupo local cobriria a oferta. Parabens a Acrissul pela visão e por proporcionar o desenvolvimento daquela região. Quem ganha é a população com o aumento da concorrencia empresarial e tambem a acrissul que reforçara seu caixa que por sinal é muito bem administrado.
 
Elpidio Cunha em 13/11/2012 20:15:01
Com isso quer dizer que a tão saudosa Expogrande vai de uma vez por todas ser extinta.???
 
juarez delmondes em 13/11/2012 19:47:08
Realmente muito bom saber desses investimentos para a cidade. Cada mercado desses gera um bom número de postos de trabalho, tanto na construção como depois para operar. E se torna mais uma opção para os consumidores, principalmente para ver se o atacadão ali do lado da UFMS fica um pouco menos lotado. hehehe
 
Rafael Santos em 13/11/2012 19:40:53
Sou morador da região e este tipo de empreendimento só tras mais crescimento á região, ao contrário do que ocorria com o Parque de Exposição, cuja sazonalidade dos eventos só tras algum tipo de benefício no período em que os mesmos ocorrem, se é que os prejuízos (som alto, depredação,vandalismo,arruaça, etc) possa fazer esta balança pesar favoravelmente aos eventos. Como um todo a cidade está crescendo e quem sabe a instalação deste atacadista, que vai concorrer de frente com Atacação e Fort, já instalados na região, só trazer mais desenvolvimento e opções para todos.
Talvez seja a oportunidade da Acrissul investir esse montante que vai entrar e investí-lo em um novo parque, mais moderno, amplo e onde possam ser realizados show entre outros.
 
Luciano Yamauchi em 13/11/2012 19:37:20
ja que area nao pode ser aproveitada para show e melhor alugar o local para o supermercado e garantir mais empregos para os campograndenses e ainda mais concorrençia no mercado local.
 
nilton sabinojrjr em 13/11/2012 19:08:51
Houve tanta expeculação,seria uems, o que não pode é ficar uma area próxima ao centro,sem o devido uso! aquela região precisa de mais movimento, iluminação nas perpendiculares, valorizar e dar segurança aos atuais e futuros moradores
 
Carlos Barbosa em 13/11/2012 18:59:35
Parabens, aos empreendedores desta cidade, temos que deixar de saudosismo, e partir para aquela parte da cidade, que esta parada no tempo.

 
Antonio Lino em 13/11/2012 18:58:11
Campo Grande esta em franco desenvolvimento, essas novas empresas de fora, vão gerar empregos aqui, aumentar a concorrência, dar mais opções de compra, a população só tem a ganhar com isso!
 
Ronaldo Pereira em 13/11/2012 18:42:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions