ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 29º

Economia

Depois de deixar passageiro para trás, Azul atribui a "problemas operacionais"

Grupo comprou bilhetes para voo entre Campo Grande e Campinas e não conseguiu embarcar

Por Marta Ferreira | 26/05/2020 11:43
Balcão da Azul no Aeroporto Internacional de Campo Grande.
Balcão da Azul no Aeroporto Internacional de Campo Grande.

A companhia aérea Azul lamentou, em nota enviada ao Campo Grande News, problemas enfrentados por clientes que compraram passagem para voo entre Campo Grande e Campinas (SP) e não puderam embarcar.

 Sem citar overbooking, prática de vender passagens a mais do que o número de vagas na aeronave em uso, a empresa atribuiu a situação a “problemas operacionais”. Também não divulgou número de clientes atingidos.

Relatos ouvidos ontem pelo Campo Grande News no Aeroporto Internacional de Campo Grande indicaram pelo menos 10 passageiros que ficaram para trás. Quatro ouvidos pela reportagem contaram ter ouvido dos funcionários a justificativa de que houve venda de passagens além do que cabia no avião.

A Azul informou os prejudicados foram realocados para seguir ao destino, hoje. “A companhia informa que está prestando toda a assistência necessária a seus clientes, conforme previsto na resolução 400 da Anac [Agência Nacional de Aviação], e lamenta os aborrecimentos causados”.

O superintendente do Procon de Mato Grosso do Sul, Marcelo Salomão, informou que as pessoas atingidas devem abrir reclamação no órgão, pois o overbooking é pratica condenada e punida pelo Código de Dedesa do Consumidor.

Além disso, citou, as pessoas prejudicadas, com a perda de compromissos, por exemplo, podem acionar a justiça e pedir indenização por danos morais.