A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 21 de Outubro de 2018

31/08/2012 12:36

Descoberta fraude de R$ 2,5 milhões contra Receita Federal

Paula Vitorino
Operação contou com a Receita Federal e Polícia Federal. (Foto: Paula Vitorino)Operação contou com a Receita Federal e Polícia Federal. (Foto: Paula Vitorino)

Operação descobriu rombo de cerca de R$ 2,5 milhões nas declarações de imposto de renda de pelo menos 300 contribuintes. A fraude era realizada por três escritórios de contabilidade, que utilizavam recibos falsos de despesas médicas.

Nesta manhã, foram apreendidos documentos, computadores e carimbos médicos falsos nos escritórios, que eram utilizados para forjar as isenções.

A operação chamada de “No Limite” contou com a Receita Federal, Polícia Federal e Ministério Público Federal.

De acordo com as investigações, os contadores testavam o sistema da Receita com vários valores até chegar ao limite aceitado para não cair na malha fina.

O chefe de fiscalização da Receita, Marcos André Más, explica que os contadores forjavam comprovantes de consultas médicas, exames e demais gastos com a saúde para aumentar o valor do imposto de renda a ser restituído aos clientes.

Ele ressalta que até o momento não é possível provar se os clientes pediam para os contadores fazerem a fraude ou não sabiam do procedimento.

No entanto, ele frisa que “não existe milagre” na declaração do imposto de renda, por isso, o cliente deveria desconfiar se o valor a ser restituído é maior do que consta nos documentos entregues ao profissional.

O delegado da Receita Federal, Flávio de Barros Cunha, explica que as pessoas físicas são responsáveis pela sonegação na sua declaração. A partir de agora, o contribuinte ainda pode fazer a retificação da declaração espontaneamente, mas após ser intimado o contribuinte perde o direito e tem 30 dias para apresentar a documentação solicitada, sujeito a pagar multa de 150 a 225% sob o valor sonegado.

A sonegação aconteceu no exercício do ano de 2010, mas as investigações apontam que as fraudes poderiam já estar acontecendo há cerca de 5 anos.

O superintendente da Polícia Federal, Edgar Paulo Marcon, explica que os contadores serão investigados e devem responder por estelionato. Além disso, o nome dos profissionais será entregue para o Conselho Regional de Contabilidade, que pode puni-los com a suspensão do registro.

Os profissionais investigados são Rudney Tadeu Pedroso da Silva, Maurílio Lubas Marques e Milton Brite Cardoso, cujo registro consta como “baixado” no site do Conselho. A reportagem não localizou os profissionais.

Malha - Em operação realizada no início deste ano, denominada de Malha 12, a Receita descobriu esquema em que um suboficial do Exército é acusado de fraudes no Imposto de Renda, com prejuízo de R$ 15 milhões aos cofres públicos.

Ao todo, a estimativa é de que 980 contribuintes sonegaram o imposto dentro do esquema de fraude.



É incrivel como o proprio CRC não puni este tipo de profissionais. O tal do "DECORE" é tão bem usado usado que os proprios "contadores". Principalmente para combra de veiculos.... Só o conselho não vê isto.
 
Luiz Carlos Da Silva em 01/09/2012 10:02:50
Engraçado esta matéria, o povo que é explorado até no leito de morte! Tem 30 dias para refazer a declaração de imposto de renda ou sofrerá multas acima de 150% ! Gostaria de saber porque tem muitos políticos que pesquisando na net todos iram ver, que declaram até 1% de seus bens é pego na malha fina, é indiciado, julgado e intimado a pagar e não paga e continua na rua e com todos os bens?
 
Alexandre de Souza em 31/08/2012 07:28:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions