A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 20 de Janeiro de 2018

26/09/2017 09:45

Empresários lotam Assembleia para pedir manutenção de veto a lei

Renata Volpe Haddad e Leonardo Rocha
Empresários foram ao plenário vestidos com camisetas com escritas contra o projeto de lei . (Foto: Leonardo Rocha)Empresários foram ao plenário vestidos com camisetas com escritas contra o projeto de lei . (Foto: Leonardo Rocha)
Presidente da ACICG, João Polidoro conversou com os deputados nesta manhã (26). (Foto: Leonardo Rocha)Presidente da ACICG, João Polidoro conversou com os deputados nesta manhã (26). (Foto: Leonardo Rocha)

Empresários de Campo Grande lotaram o plenário da Assembleia Legislativa na manhã desta terça-feira (26) pedindo apoio dos deputados estaduais para que mantenham o veto do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), sobre o projeto de lei conhecido como AR (Aviso de Recebimento).

Desde a semana passada, a ACICG (Associação Comercial de Industrial de Campo Grande), se reúne com o setor e com alguns deputados, para discutir sobre como essa lei será prejudicial para a classe.

Segundo o presidente da associação, João Carlos Polidoro, a lei que está em vigor desde 2015 em São Paulo, só deu prejuízos para os empresários. "Como o consumidor pode se recusar a assinar a carta, ele fica como um cliente falso positivo. Esse tipo de cliente no estado vizinho, gerou R$ 16 bilhões de prejuízos para o setor. A gente comprovou que essa lei não ajuda em nada, só prejudica", explica.

Polidoro disse ainda que Azambuja vetou o projeto depois de ouvir os empresários. "O governador nos entendeu e já que não há interesse público na matéria, vetou. Agora, a CCJ derrubou o veto e o projeto volta para Assembleia. Estamos aqui para conversar com os deputados. Já falei com 16 e a maioria entendeu nossa situação", defende.

Os autores do projeto são os deputados Pedro Kemp (PT) e Beto Pereira (PSDB). Beto explicou que vai usar a tribuna hoje para defender o projeto. "Eu entendo que essa lei vai beneficiar os consumidores e não dá prejuízo para o setor empresarial. Também estou conversando com os deputados para que derrubem o veto. A manifestação dos empresários é válida, mas vejo que é uma forma de pressionar os deputados", disse.

A votação do veto não está na pauta de hoje. A CCJ (Comissão de Constituição de Justiça) se reuniu no dia 20 de setembro e derrubou o veto do governo ao projeto que prevê mudanças na forma de inclusão de devedores nos cadastros do SPC e Serasa. 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions