A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 27 de Julho de 2017

28/06/2017 12:43

Gás de cozinha começa a faltar em MS e preço deve subir ainda mais

Priscilla Peres
Distribuidora tem estoque apenas de botijões vazios. (Foto: Alcides Neto)Distribuidora tem estoque apenas de botijões vazios. (Foto: Alcides Neto)

Está faltando gás de cozinha em todo o país e em Mato Grosso do Sul não é diferente. O fechamento de uma produtora no interior de São Paulo, aliado as dificuldades com transporte provocaram um desabastecimento em vários estados brasileiros, sem previsão de terminar.

O presidente do Simperga/MS (Sindicato das revendedores de GLP) Vilson de Lima, confirma que não há botijão disponível para venda na maioria das distribuidoras. "Hoje na minha empresa não tem nenhum. Na Copagaz também não e a previsão é de que só comece a chegar amanhã".

Outros distribuidores também afirmam que está faltando gás para revenda. Em Dourados, segunda maior cidade do Estado, a situação se repete e os estoques do botijão de 13 quilos de gás GLP estão ficando vazios.

Ao certo, ninguém explica os motivos que levaram a atual situação, mas afirmam que além da falta do gás haverá consequências sérias no preço. No início do mês a Petrobras informou que o valor será reajustado todo dia 5 e, na Capital, o botijão já é vendido por quase R$ 70.

A Asmirg (Associação Brasileira dos Revendedores de GLP) informou em seu site que "as Companhias Distribuidoras vêm se empenhando, mas há limites dentro de uma logística que depende de transporte rodoviário, que além da elevação dos custos, vem provocando atrasos que resultam na falta de gás em algumas de suas bases".

Vilson de Lima afirma que a solução encontrada temporária é importar gás natural da Europa, mas além de ser uma opção cara o tempo de espera é de três dias para chegar até os estados. "Está complicado e não há previsão de regularizar".




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions