A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Novembro de 2019

08/11/2019 21:23

Grupo prorroga funcionamento de lojas em prédio do Walmart até dezembro

Supermercado encerra atendimento no domingo (10)

Adriano Fernandes
Freezers vazios devido a enorme procura de clientes por produtos na promoção. (Foto: Jones Mario) Freezers vazios devido a enorme procura de clientes por produtos na promoção. (Foto: Jones Mario)

O Grupo Big estendeu o prazo para funcionamento das lojas que ocupam o prédio do Walmart, na Avenida Mato Grosso que a partir do próximo domingo (10) não abre mais as portas para dar lugar a um novo empreendimento, ainda sem data prevista de inauguração.

Inicialmente, os donos das 7 lojas e 4 quiosques do local também teriam só até o próximo domingo para encerrarem suas atividades. Na segunda-feira (11) eles já não poderiam mais atender aos seus clientes e só entrariam no prédio para retirar seus móveis e mercadorias, por exemplo.  

No entanto, nesta sexta-feira (08) a administração teria prorrogado o prazo de atendimento até o próximo dia 5 de dezembro, exatamente um mês após a entrega “surpresa” da notificação de fechamento do supermercado.

“Já é uma luz no fim do túnel”, comentou uma das empresárias, de 40 anos, que pediu para não ter identidade divulgada. “Eu não tinha para onde ir, agora, pelo menos já tenho uns 29 dias para poder procurar outro lugar e terminar de atender meu clientes”, completou. Ainda segundo a lojista, mesmo com o novo prazo pelo menos duas lojas e quase todos os quiosques, devem ser desativados até domingo.

Divulgado pelo Campo Grande News, na última quarta-feira (06) o fechamento do Walmart gerou "empurra-empurra" de cientes na loja em busca de produtos em promoção. Os descontos chegam a 50%.

Repaginada

O prédio será reformado para reinauguração como Sam’s Club, que também pertence ao Grupo Big. O novo empreendido é um tipo de clube de compras em que o cliente tem de pagar uma anuidade de R$ 75,00 para ter acesso a produtos exclusivos, geralmente importados e que não são vendidos no comércio brasileiro.

O grupo informou que a reformulação da loja na cidade faz parte de um investimento total de R$ 1,2 bilhão “com foco na revisão do modelo operacional das lojas nos próximos 18 meses”.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions