ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 26º

Economia

MS arrecadou R$ 27 milhões a mais em maio de 2015, segundo Receita Federal

Por Liana Feitosa | 26/06/2015 16:10

Mato Grosso do Sul teve crescimento um crescimento nominal de 27,1 milhões nas receitas administradas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil no Mato Grosso do Sul em maio deste ano, se comparado ao mesmo mês de 2014.

Positivo - Segundo o órgão, o Estado registou arrecadação total de mais de R$ 494 milhões, que representa crescimento de 5,82% no último mês de maio em comparação com o mesmo período do ano passado.

Em relação à arrecadação fazendária, o valor alcançado foi de quase R$ 260 milhões, o que representa acréscimo de R$ 15,6 milhões em relação ao mês de maio de 2014. Portanto, aumento nominal de 6,47%.

Já a arrecadação de receitas previdenciárias somou R$ 236 milhões, apontando para crescimento nominal de R$ 11,5 milhões em relação ao mesmo mês do ano anterior. Nesse sentido, o incremento nominal foi de 5,12%.

Segmentos representados - Ainda de acordo com a Receita Federal, os setores econômicos que representaram incremento positivo na arrecadação do Estado no último mês de maio foram a eletricidade e o gás, com 10,3 milhões, agricultura e pecuária, com 3,7 milhões e administração pública, defesa e seguridade social, com 2,4 milhões.

Tributos que influenciaram - Os principais tributos e contribuições que apresentaram crescimento na arrecadação em Mato Grosso do Sul em maio deste ano foram o pagamento unificado, com 12 milhões, e o IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte) rendimentos do trabalho, com 2,1 milhões.

Além disso, também influenciaram no aumento na arrecadação a contribuição previdenciária 2100, de empresas em geral, com 5,9 milhões, e a contribuição previdenciária 2607, de produção rural, com 2,2 milhões.

Em Campo Grande, a variação na arrecadação total, comparando os meses de maio de 2014 e 2015, foi de 4,68%. Ou seja, no ano passado foi de R$ 341 milhões e, em 2015, de R$ 356 milhões.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário