ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 33º

Economia

MS tem pior resultado em geração de emprego do Brasil, aponta Caged

No total foram contratados 235.433 trabalhadores ao longo dos últimos 12 meses, enquanto 238.537 foram demitidos

Por Gabriel Neris | 23/01/2019 15:16
Construção civil terminou dezembro com saldo negativo em geração de empregos (Foto: Kísie Ainoã)
Construção civil terminou dezembro com saldo negativo em geração de empregos (Foto: Kísie Ainoã)

Mato Grosso do Sul encerrou 2018 como o pior Estado em geração de emprego, de acordo com o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgado nesta quarta-feira (23). O saldo total foi de 3.104 vagas formais de trabalho a menos.

No total foram contratados 235.433 trabalhadores ao longo dos últimos 12 meses, enquanto 238.537 foram demitidos.

Entre os setores que mais se destacaram negativamente foram serviços (-7.801), indústria de transformação (-1.518), agropecuária (-1.649) e construção civil (-668).

Além de Mato Grosso do Sul, apenas quatro Estados tiveram saldo negativo na geração formal de emprego: Acre (-961), Roraima (-397), Alagoas (-157) e Rio Grande do Sul (-14).

Somente em dezembro foram 12.088 vagas a menos de trabalho em Mato Grosso do Sul. É o pior desempenho do Estado em dezembro dos últimos quatro anos. Nesse período o melhor resultado foi em 2017 quando fechou o mês com -6.618 vagas.

Entre os municípios sul-mato-grossense onde foi feito o levantamento do Ministério do Trabalho e Emprego, Dourados foi quem terminou com o pior desempenho. Foram -8.462 vagas de emprego a menos em 2018 (-14,84%). O melhor desempenho foi de Amambai, saldo de 293 (6,65%).

Já Campo Grande encerrou dezembro com -1.879 vagas de trabalho a menos, porém no acumulado do ano o saldo foi positivo: 2.774 postos de trabalho.