A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 19 de Outubro de 2018

17/05/2018 11:23

Na contramão de recorde no Brasil, taxa de desemprego cai em MS

Conforme o levantamento, Mato Grosso do Sul também registrou a segunda menor taxa de desocupação

Aline dos Santos
Mato Grosso do Sul tem cenário melhor do que o nacional sobre empregos. (Foto: Roberto Higa)Mato Grosso do Sul tem cenário melhor do que o nacional sobre empregos. (Foto: Roberto Higa)

Na contramão do Brasil, que teve recorde de desemprego na modalidade subutilização da força de trabalho (que inclui desempregados, pessoas que gostariam de trabalhar mais e os que desistiram de buscar emprego), Mato Grosso do Sul teve redução dessa taxa.

De acordo com a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), divulgada pelo IBGE, a taxa caiu de 18% no primeiro trimestre de 2017 para 17,7% no primeiro trimestre deste ano. Contudo, os resultados ficam longe do desempenho em anos como 2013, 2014 e 2015. Há cinco anos, por exemplo, a taxa de subutilização da força de trabalho era 12,9% no Estado.

No Brasil, a taxa foi de 24,1% para 24,7% no comparativo entre 2017 e 2018. Esse é o pior resultado nacional na série histórica desde 2012 e, conforme a Agência Brasil, isso significa que 27,7 milhões de trabalhadores estão subutilizados no País.

Conforme o levantamento, Mato Grosso do Sul também registrou a segunda menor taxa de desocupação do Brasil neste primeiro trimestre: 8,4%. No mesmo período do ano passado, a taxa foi de 9,8%.

Na terminologia do IBGE, desocupada é a pessoa de 14 anos ou mais que estava sem trabalho na semana da pesquisa, mas que buscava recolocação no mercado. Além dos desocupados, há os que estão fora da força de trabalho, isto é, os que não tomam providência efetiva para conseguir emprego.

IBGE mostra menores taxa de desocupação nos Estados. IBGE mostra menores taxa de desocupação nos Estados.


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions