A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

03/01/2008 10:04

Para tributarista, IOF maior pode inibir investidores

Redação

O aumento anunciado ontem pelo governo federal no IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), para compensar o fim da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) pode inibir investidores do setor financeiro, além de atingir o correntista, que já era "vítima" da CPMF. A análise é do advogado tributarista Alexandre Bastos, que é também consultor financeiro da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul).

Para Bastos, o governo peca ao criar mais tributos ao invés de enxugar sua estrutura, prejudicando a economia. Pela proposta, o IOF terá acréscimo de 0,38% e a CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido) será corrigida de 9% a 15%.

"A CSLL onera a vida das empresas. Ao invés de haver uma política de redução de tributação em cima da produção, a opção do governo foi o aumento da tributação", afirma Bastos. Ele afirma que nenhuma das correções pode retroagir, ou seja, contratos formalizados antes da mudança não terão a nova IOF. A economia média com o fim da CPMF, que vem sendo calculada, é de cerca de R$ 150,00 por brasileiro, mas com o aumento do IOF em apenas uma operação de tomada de crédito o cidadão poderá ter de desembolsar mais.

Habitação

Empresas têm até 20 de dezembro para optar pela antecipação do eSocial
Empresas podem optar pela antecipação da implantação do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSoci...
Prazo para regularizar débitos com fisco estadual vence na sexta-feira
Contribuintes que possuem débitos com o fisco estadual têm até sexta-feira (15) para aderirem ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal) de Mato Gross...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions