A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

05/05/2011 10:31

Pesquisa aponta que comércio de Campo Grande está otimista

Marta Ferreira

O comércio de Campo Grande está otimista, investimento mais e confiante na geração de empregos. É o que aponta pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), com o resultado do Índice de Confiança dos Empresários do Comércio.

O índice, que revela a percepção dos empresários do comércio do comércio sobre as atuais condições e investimentos e

perspectivas futuras, mostra que, em Campo Grande, 66,3% dos empresários têm expectativa de expectativa de aumentar a oferta de vagas. A amostra mínima da pesquisa é de 366 empresas.

Conforme o resultado divulgado, em abril, o Índice de confiança dos empresários do comércio da Capital caiu em 3,6% comparado a março. Dentre os seus componentes, o índice de investimento teve a mais expressiva redução, de 8%.

A redução de confiança ocorreu em âmbito nacional,reflexo do menor nível de atividade, analisa a CNC.

A situação muda conforme o tamanho e a área de atuação das empresas. As que têm até 50 empregados tiveram redução de 4,2% no índice de confiança e as que têm mais de 50 empregados aumentaram o índice em 19,1%.

Entre as empresas de maior porte, o índice de investimentos aumentou 37,9%. Nas menores, o comportamento foi inverso: o índice caiu 9,1%.

Na divisão por atividade de atuação, o nível de confiança caiu mais entre os empresários que trabalham com bens duráveis (como automóveis e eletrodomésticos), com percentual negativo de 14%.

No setor de bens não duráveis (como alimentos e bebidas) houve aumento de 1,3% no índice de confiança.

Análise-Para o presidente da Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) de Mato Grosso do Sul e do Instituto de Pesquisa da entidade, Edison Ferreira de Araújo, a variação do índice reflete ainda o impacto das vendas de fim de ano no comércio.

"Nos primeiros meses do ano ainda sentimos os efeitos do comprometimento da renda da população com as compras de Natal, impostos e matrículas escolares”.

De acordo com Araújo, o setor da alimentação manteve o ritmo de vendas principalmente por conta da ascensão do poder de compra das famílias das classes D e E para a C".

A pesquisa da CNC mostrou que para 68,2% a atual condição da empresa está melhor e que o otimismo é grande, já que 93,7% esperam dias ainda melhores.

Sobre a expectativa de contratar funcionários, 66,3% apontam previsão de aumentar a oferta de vagas. Neste item, o maior percentual é entre as empresas com mais de 50 funcionários, em que 66,7 disseram que devem aumentar o quadro de pessoal.

Entre as empresas menores, 11,7% revelaram intenção de ampliar expressivamente a oferta de vagas. Outros 33% falaram em reduzir a oferta de vagas.

Ao falar de investimentos, 54% das empresas de menor porte disseram que eles aumentaram. A resposta foi sim para a totalidade das empersas que têm mais de 50 funcionários todas informaram ter elevado os investimentos.

A pesquisa mostra, ainda, que 50,8% estão com estoques acima do considerado adequado, índice que salta a 87,5% entre as maiores empresas.

Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...
Consumidor terá 30 dias para contratar serviço de esgoto antes de ser multado
Será apresentado às 9h de segunda-feira (18) um termo de parceria entre o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions