A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2019

19/10/2016 22:20

Pesquisadores se reúnem em evento sobre recursos genéticos de equinos

Fernanda Yafusso

Pesquisadores da Embrapa se reuniram nesta quarta (19) e volta a se encontrar na quinta-feira (20) em Corumbá, município distante 419 km de Campo Grande, em um evento sobre recursos genéticos de equinos.

De acordo com o site Diário Corumbaense, o evento reúne pesquisadores da Embrapa e de outras instituições, além de criadores associados, para discutir, trocar experiências, buscar soluções e definir de forma participativa as estratégias de conservação das raças equinas.

Uma palestra será realizada no último dia do evento no Sindicato Rural com o pesquisador Artur da Silva Mariante, da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia.

No início da semana alguns participantes estiveram na fazenda Nhumirim para acompanhar projetos relacionados ao tema desenvolvidos pelo centro de pesquisa.

Equinos - Atualmente no Brasil há cerca de 5,7 milhões de equinos e 1,2 milhão de muares, muitos dos quais ainda exercem relevante papel econômico nas regiões que criam gado e onde há atividades da agricultura familiar.

O cavalo foi introduzido no Brasil na época da colonização e se disseminou por todo o país formando as diferentes raças autóctones, de acordo com as condições climáticas e manejo local.

Dentre as raças de equídeos existentes, 17 são brasileiras, sendo 11 de cavalos, três de asininos e três de pôneis. Dentre as raças brasileiras, algumas necessitam de programas de conservação, como seis raças de equinos (Nordestino, Marajoara, Campeiro, Pantaneiro, Lavradeiro e Baixadeiro), três de asininos (jumento Nordestino, jumento Brasileiro e jumento Pêga) e uma de pônei (mini cavalo Puruca).

Dourados proíbe criação de suínos, equinos e bovinos na área urbana
Por meio de lei publicada na edição de segunda-feira no Diário Oficial do município, a prefeitura de Dourados proibiu a cria, engorda ou manutenção d...
Idade para aposentadoria pode subir de acordo com expectativa de vida
A idade mínima para a aposentadoria poderá subir em 2024 e depois disso, a cada quatro anos, de acordo com a expectativa de vida dos brasileiros. Se ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions